O português Joaquim Silva (Caja Rural) afirmou hoje que "é espetacular" ter o companheiro de equipa e compatriota Rafael Reis de amarelo na Volta a Portugal e que sonha com a presença na Vuelta.

"[A camisola amarela] É o recompensar do esforço do Rafael. As coisas não lhe vinham a correr bem. Às vezes é assim, procuramos e as coisas simplesmente não saem. As coisas no último mês têm corrido bem, já com duas vitórias no Joaquim Agostinho e agora na 'grandíssima'", afirmou.

Joaquim Silva falava à partida para a primeira etapa, entre Alcácer do Sal e Albufeira (191,8 quilómetros), durante a qual acabou por desistir.

Na quarta-feira, Rafael Reis tornou-se o primeiro líder da 80.ª Volta a Portugal, ao vencer o prólogo em Setúbal, com Joaquim Silva a lembrar que já é a segunda vez que está na mesma equipa do setubalense quando este veste a amarela na prova.

"É espetacular estar com ele de amarelo. Já aconteceu quando estávamos no Porto", disse, recordando o triunfo de Rafael Reis no prólogo da Volta em 2016.

Na quarta-feira, Joaquim Silva, que se mudou este ano para a Caja Rural, ficou a saber que é um dos 12 pré-convocados para a Volta a Espanha.

"Provavelmente os diretores já têm a equipa em mente, mas tudo o que eu faça de positivo aqui será bom para mim, não só a nível da Vuelta, mas também para renovar por mais um ano", reagiu o ciclista, ainda antes de abandonar na primeira etapa.

Joaquim Silva admitiu ainda que fazer "uma corrida como a Vuelta é um sonho".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.