O ciclista espanhol Alejandro Marque (Sporting-Tavira) revelou hoje à agência Lusa que ouviu o amigo Gustavo Veloso (W52-FC Porto) pedir pelo rádio para os colegas abrandarem o ritmo, no mesmo momento em que Amaro Antunes atacou.

“Eu ia ao lado do Gus quando ele pediu para baixarem um pouco o ritmo e, logo a seguir, o Amaro atacou. O Amaro traiu o Gustavo”, defendeu o vencedor da Volta de 2013, que é um dos melhores amigos do galego da W52-FC Porto, referindo-se ao segundo classificado da geral, de quem foi colega no ano passado, na LA-Antarte.

As críticas do sétimo classificado da geral não se ficaram por aí, com Marque a lamentar ter tido de trabalhar praticamente sozinho na perseguição a Antunes e a Raúl Alarcón (W52-FC Porto) durante quase 80 quilómetros da nona etapa.

“O ataque deles deixou-nos numa situação complicada. Tive de puxar só eu. Não entendo porque as outras equipas não trabalharam. Se a Efapel e RP-Boavista tivessem ajudado, talvez o desfecho tivesse sido outro”, sublinhou.

Para ‘Alex’, que está a 7.04 minutos do camisola amarela, Raúl Alarcón, o pódio não está perdido para o Sporting-Tavira, com o seu companheiro italiano Rinaldo Nocentini, quarto a 5.09 minutos, a poder destronar o espanhol Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), que é terceiro a 5.01.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.