O Sporting entrou determinado na partida e disposto a desfazer o nulo nos primeiros minutos.  Leitão e Caio Japa puseram à prova o guarda-redes do Belenenses, mas este correspondeu da melhor forma.

A pressão dos leões durou contudo apenas os primeiros cinco minutos. A partir dessa altura o Belenenses equilibrou o encontro e terminou com o ascendente evidenciado pelo Sporting até então.

O primeiro remate do “Belém” aconteceu ao quinto minuto de jogo por Israel, mas saiu ao lado. Foi esse o momento que marcou uma mudança no encontro. Cristiano foi vendo a sua baliza cada vez mais ameaçada e ia resolvendo o melhor que podia as situações de perigo.

À passagem do minuto 10, o Sporting dispôs de um livre à entrada dá área adversária. Cardinal atirou forte e Marcão opôs-se bem, fazendo mais uma defesa à recarga de Deo. Após esse lance, os leões, no minuto seguinte, acumularam a quinta falta, desconcentraram-se e sofreram um golo. Nené recebeu um passe na área do Sporting, tirou Deo do caminho e rematou de forma violenta fazendo o primeiro golo do encontro.

O Sporting tentou superar a adversidade, mas foi ténue a reacção que se viu, o que obrigou Orlando Duarte a pedir um desconto de tempo aos quinze minutos. As instruções dadas pelo treinador parecem ter dado resultado pois, ao minuto 17, numa jogada colectiva o Sporting chegou ao golo do empate.

Alex fez um passe para ala direita para Divanei e este, de pronto, cruzou para João Matos que, na área, só teve de encostar e fazer o golo do empate. O Sporting queria embalar, mas o Belenenses não deixou. O capitão do Restelo, Jardel,  voltou a colocar os “homens da casa” em vantagem no minuto seguinte. Foi com este resultado (2-1) que se chegou ao intervalo.

No início do segundo tempo, a equipa de Orlando Duarte foi à procura de anular a desvantagem verificada. Assistiu-se então a um Sporting mais ofensivo e o Belenenses à procura de, em transições rápidas, ampliar a vantagem.

Após algumas tentativas goradas, Cardinal, recém regressado de castigo, apontou o golo do empate. O pivot, à meia volta, rematou cruzado e a bola só parou no fundo da baliza de Marcão.

Este tento em vez de motivar o Sporting, motivou o Belenenses que alterou a sua estratégia e passou a ter mais posse de bola, fruto também da utilização de Marcão como guarda-redes avançado.

A estratégia empurrou o Sporting para o seu meio-campo mas não resultou em golos.  Após este ímpeto da formação de Alípio Matos,  o jogo seguiu nos minutos finais numa toada de equilíbrio sem serem apontados  golos de parte a parte.

Com este empate, Belenenses e Sporting somam 23 pontos e deixam o Benfica na liderança isolada do campeonato nacional de futsal com 25 pontos somados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.