O internacional Erick desvalorizou hoje o facto de a seleção portuguesa de futsal disputar os jogos com a República Checa na cidade polaca de Lodz, no sábado e na próxima terça-feira, considerando que até pode ser uma vantagem.

“O que à partida poderia ser encarado como uma desvantagem, afinal vamos jogar num campo que também já conhecemos. Diante da República Checa isso é uma vantagem, pois não vamos jogar lá num campo que ainda não conhecemos”, considerou o jogador, em declarações à assessoria de comunicação da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

A dupla jornada com a República Checa estava agendada para Porto Salvo (Oeiras) e Praga, mas, face às condicionantes existentes com a pandemia da covid-19, os jogos foram transferidos para Lodz, na Polónia, onde Portugal venceu no início de fevereiro os polacos, por 3-0.

“Obviamente, que não jogarmos em casa pode ser diferente, pela condicionante de termos de viajar, mas eu acho que é sempre preferível olhar para o outro lado da moeda e acho que nos pode trazer algumas vantagens e vamos ter de saber lidar com elas”, justificou o jogador.

Erick cumpre com a seleção de futsal a preparação no pavilhão dos Leões de Porto Salvo, que hoje foi palco do primeiro treino após a concentração no domingo, onde a equipa permanecerá até quinta-feira, antes de viajar para a Polónia.

“Os objetivos da seleção são os mesmos de sempre. Ganhar, ganhar bem, com coesão e um espírito de equipa bom. Neste caso, queremos os seis pontos contra a República Checa”, acrescentou o universal, jogador do Sporting.

Para Erick é prematuro estar a fazer contas no grupo, mas existe a convicção de que Portugal, campeão europeu em título, tem uma identidade em que a vitória é sempre o mais importante.

“Obviamente, que se nós fizermos algumas contas, podemos sempre passar sem ganhar os dois jogos, mas se é isso que nós queremos e se é isso nós vamos fazer? Obviamente que não. Se nós precisamos de garantir a vitória para passar tranquilamente e porque temos uma seleção capaz para isso, então nós vamos procurar o que nos interessa que é só a vitória”, justificou.

Os oito vencedores dos grupos e os seis melhores segundos classificados juntam-se aos anfitriões Países Baixos na fase final do Europeu, entre 19 de janeiro a 06 de fevereiro de 2022, enquanto os restantes dois segundos classificados disputam um ‘play-off’, de 14 a 17 de novembro de 2021, para definir a outra vaga.

Na campanha de apuramento, Portugal, campeão europeu em título, ainda defrontará no grupo 8, a Noruega, num duplo compromisso em abril, com os noruegueses a disputarem ambos os jogos fora, devido à pandemia de covid-19.

Após duas jornadas, a República Checa lidera o grupo, com seis pontos, seguida de Portugal, com quatro, e da Polónia, com um, enquanto a Noruega tem zero pontos, por ter falhado os dois jogos em casa dos checos e ter sido penalizada com duas derrotas por 5-0.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.