O português Ricardinho disse hoje, em entrevista à agência noticiosa espanhola EFE, estar “muito contente” com o ano 2018 a título individual e coletivo, elogiando ainda a evolução de Portugal no futsal, com “bons jovens jogadores”.

“A nível individual estou muito contente com o que consegui dar à minha equipa e à minha seleção, e com o nível a que estive. Ganhei muitas coisas e estive outra vez nomeado para melhor do mundo. É um orgulho”, sublinhou.

Também no plano coletivo, a temporada foi “dez em dez”, com a quinta Liga espanhola consecutiva com o Inter Movistar, além de uma segunda Liga dos Campeões.

Questionado sobre o poderio de Espanha e Brasil no futsal, quando as duas equipas se preparam para se enfrentar em dois particulares, Ricardinho destacou ainda a evolução de Portugal, que tem “tentado aproveitar as armas que tem como pode”.

“O futsal está cada vez mais equilibrado, as nações mais fortes não podem subir mais e as outras, que não estariam nesse topo, têm crescido e melhorado. Além disso, na nossa seleção têm aparecido bons jogadores jovens, o que tem sido fenomenal”, destacou.

Melhor jogador do mundo há quatro edições seguidas do prémio, desde 2014, o ala luso de 33 anos venceu o primeiro título com a seleção no início do ano, com a conquista do Euro2018.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.