O internacional português João Matos mostrou-se hoje crente de que a seleção de futsal, com a “atitude adequada” no jogo, tem chances de conseguir ultrapassar a congénere da Espanha e alcançar as meias-finais do Mundial.

“Temos de estar bem preparados, confiantes, motivados e ter a atitude correta para o que exige um jogo desta competição. É ter uma atitude adequada ao momento, não entregar e não errar defensivamente. Com a nossa qualidade, vamos ter as nossas oportunidades. Vai ser sempre equilibrado e pode cair para qualquer lado, mas acredito muito que pode cair mais para o lado de Portugal”, afirmou, em zona mista.

No final do treino oficial de adaptação à Vilnius Arena, na capital lituana, João Matos sublinhou a felicidade do grupo por alcançar os ‘quartos’ do torneio, após superar a Sérvia nos ‘oitavos’, por 4-3, após prolongamento, estando conscientes da dificuldade de derrotar a Espanha, embora a confiança num bom resultado se encontre no topo.

“Desde que consigamos cumprir com o plano de jogo e que cada um de nós faça bem a sua tarefa, a vitória vai cair para o nosso lado e vamo-nos manter aqui na Lituânia”, assegurou o jogador do Sporting, de 34 anos, que considera que a diferença de valor entre as duas equipas ibéricas esteja bem menor comparativamente a anos anteriores.

No histórico de confrontos entre Portugal e Espanha, que já se defrontaram 29 vezes, o saldo é tremendamente favorável aos espanhóis, vencedores em 23 ocasiões, com os restantes encontros a saldarem-se por quatro empates e dois triunfos dos lusos, o último dos quais na final do Europeu de 2018, na Eslovénia, por 3-2, após tempo extra.

“Vai ser sempre equilibrado. Quando cheguei aqui, em 2010, a diferença era maior. [Temos de ter] Atitude adequada, controlo emocional, muita pressão sobre a bola, muita confiança e atrevimento ofensivo”, indicou, dando a ‘receita’ para o encontro.

Sobre o adversário, João Matos entende que a Espanha tem “uma seleção diferente” em comparação aos últimos anos, em que “deslumbrava em termos táticos e de organização”, jogando agora um jogo “mais objetivo e técnico, com jogadores muito ágeis”, alertando para a letalidade no último terço do campo, onde apresenta “alas extremamente desequilibradores” e “dois pivôs num grande momento de forma”.

“Não há muito tempo de preparação. Há que olhar muito para nós e para o que podemos causar à Espanha, em que momentos do jogo e de que forma. Vai-se definir em pequenos detalhes. Num momento de competição destes, é isso que vai fazer a diferença. Depois, ter algum alerta para o que a Espanha nos vai fazer”, explicou o fixo.

No início do treino, João Matos esteve à conversa com o selecionador Jorge Braz, apontando para a perna, mas garantiu que estará apto fisicamente para a partida: “Não estou nos melhores dias, mas, se for para rasgar, é para rasgar. Que seja agora”.

Portugal e Espanha defrontam-se às 17:30 (15:30 de Lisboa) de segunda-feira, em jogo a contar para os quartos de final do Mundial de futsal, na Vilnius Arena, na capital da Lituânia. O vencedor do encontro defrontará, nas meias-finais, o Irão ou o Cazaquistão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.