A seleção portuguesa de futsal não vai "fugir às responsabilidades" no Euro2018 e quer sair da Eslovénia com uma medalha, de acordo com o técnico Jorge Braz, que revelou à agência Lusa o sonho de ser campeão.

"Não temos de fugir às nossas responsabilidades. Nos últimos europeus e mundiais estivemos nos momentos de decisão. Tem sido esse o nosso registo. Temos passado as fases de grupos, temos estado nos quartos e meias. Melhorar e subir mais um bocadinho implica chegar às medalhas. Queremos sempre mais e isso é claro para todos nós. Podemos sonhar com a cor da medalha que queremos", afirmou o selecionador nacional, em declarações à Lusa.

Jorge Braz, que vai disputar a sexta competição internacional ao comando da equipa das 'quinas', assumiu o desejo de uma conquista inédita para as cores lusas, considerando que Portugal tem "capacidade para competir com os melhores".

"Toda a gente sabe a cor da medalha que queremos. Claro que temos o sonho de sermos campeões da Europa. Nunca o fomos. Havendo uma pequena melhoria, por que não poderemos ambicionar isso? Não vamos lá apenas para participar ou para ficar outra vez nos quatro melhores. Queremos mais e assumimos", sublinhou.

O técnico, de 45 anos, que lidera a seleção nacional desde 2010, destacou a liderança de jogadores como "João Matos, Pedro Cary e Ricardinho", antes de elogiar as qualidades do melhor futsalista do mundo.

"Não há ninguém no mundo que desequilibre e desencaixe os jogos como o Ricardinho. É importante em qualquer equipa em que esteja, pela qualidade que tem, complementando com os restantes jogadores. É claro que ter o melhor do mundo é uma ajuda", referiu.

De resto, Jorge Braz acredita que o 'mágico' do Inter Movistar, recentemente eleito melhor jogador do mundo pela quinta vez, "vai aparecer nos grandes momentos" deste Europeu.

"Além da forma como desequilibra no 1x1 e depois faz golos, a forma como compensa um colega, como pressiona uma bola na frente e ganha, como percebe um esquema tático, como defende esse esquema. Ele é tão completo nas funções todas que o jogo exige. O Ricardo vai aparecer muitas vezes nos grandes momentos", elogiou.

Portugal está incluído no grupo C, juntamente com Ucrânia e Roménia, duas seleções que, segundo Jorge Braz, vão oferecer diferentes desafios à seleção nacional.

"Frente à Roménia temos de ser altamente intensos e perceber como vamos ultrapassar aquele jogo muito posicional deles. Sentem-se extremamente confortáveis a defender. Se lhes retirarmos esse conforto, não vejo forma de não ganharmos. A Ucrânia tem agressividade ofensiva, um jogo muito objetivo, dinâmico, intensidade com e sem bola. Nós até nos sentimos melhor contra seleções que jogam assim, que nos pressionam, que querem jogar, por isso temos vencido os últimos jogos com a Ucrânia. A Ucrânia pode ser uma surpresa neste Europeu, pelo nível que tem apresentado", analisou.

O Euro2018, que se disputa na Eslovénia, arranca na terça-feira e termina no dia 10 de fevereiro, sendo que todos os jogos terão lugar na Arena Stozice, em Ljubljana.

Portugal estreia-se na quarta-feira, diante da Roménia, às 17:00 (hora portuguesa), e no domingo defronta a Ucrânia, à mesma hora.

Os dois primeiros classificados de cada um dos quatro grupos apuram-se para os quartos de final da competição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.