O selecionador português de futsal, Jorge Braz, revelou hoje sentimentos mistos após a derrota com o Irão no desempate por penaltis, que ditou o quarto lugar no Mundial da Colômbia.

“Estou satisfeito com o percurso e trabalho, pelo que fizemos e as oportunidades. Triste, não satisfeito pelo facto de, mais uma vez, não levar nada ao peito”, disse o técnico, citado pela assessoria de imprensa da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Depois de estar a vencer o Irão por 2-0, com ambos os tentos no início da segunda parte, Portugal permitiu o empate e depois, na decisão nos penaltis, perdeu por 4-3.

“Se tivesse dito em Portugal que o objetivo era ficar nos quatro melhores, diriam que tinha expetativas altas, que queria demasiado. Sendo extremamente prático, é um orgulho, uma classificação meritória por todo o percurso e trabalho”, vincou.

Frente ao Irão, considerou que Portugal “esteve muito perto de ganhar”, inclusivamente dispondo de oportunidades para vencer já depois do 2-2 e assim “evitar os penaltis”.

“Até aí (penaltis) tivemos oportunidade (de vencer), mas não conseguimos”, lamentou.

Jorge Braz assumiu que desejava lutar pelo título, porém reconhece que houve “deslizes pontuais ou minutos de deslizes com a Argentina”, nas meias-finais, em que a seleção lusa saiu derrotada por 5-2.

“Hoje tivemos uma segunda oportunidade. Competimos, fomos inteligentes, embora na primeira parte nem tanto. Na segunda corrigimos, entrámos muito bem. Independentemente de todas a adversidade, o jogo esteve muito mais para cair para o nosso lado do que deles”, completou.

A equipa regressa da Colômbia na segunda-feira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.