O selecionador português de futsal, Jorge Braz, afirmou, esta terça-feira, que a equipa das quinas está com a "ambição gigantesca" de não parar pelas meias do Mundial, após igualar, pelo menos, o quarto lugar da última edição.

“O nosso objetivo é muito claro. Chegámos até aqui e não é aqui que queremos parar. Para o atingir, temos agora mais um jogo importantíssimo. Sinto toda a gente com enorme vontade e ambição gigantesca. A este nível, tudo pode acontecer. Vamos atrás do que queremos muito”, realçou, em conferência de imprensa de antevisão à partida.

Na ‘ressaca’ de uma reviravolta com contornos épicos frente à Espanha, por 4-2, após prolongamento, nos quartos de final, Jorge Braz garantiu que Portugal estará pronto para as dificuldades que o Cazaquistão poderá colocar no jogo das ‘meias’ do torneio.

“Conhecemos muito bem o Cazaquistão e o potencial. O trabalho ainda está a ser feito, mas vamo-nos preparar adequadamente. Qualquer seleção tem vantagens e desvantagens. Todos têm dificuldades, o Cazaquistão terá particularidades distintas, mas estaremos preparados para isso”, explicou o ‘timoneiro’ português, de 49 anos.

Como tal, e apesar do selecionador contrário, o brasileiro Kaká, colocar o Cazaquistão como o “menor favorito” de entre as quatro seleções ainda em prova, o luso rejeitou essa ideia, considerando que, nesta altura do torneio, já não existem favoritismos.

“[O Cazaquistão] É uma seleção que merece inteiramente estar nas meias-finais, mas só estamos preocupados connosco. Se me disserem que o Cazaquistão é o menos favorito pela estatística e histórico, ok, mas, pelo momento, não me parece”, opinou.

Depois de, na fase a eliminar, ter necessitado do tempo extra para superar a Sérvia e a Espanha, os campeões europeus encaram as dificuldades como uma lição positiva, com Jorge Braz a revelar que, em fases finais, não gosta de jogos ou de grupos fáceis.

“A melhor lição de jogos deste tipo é que ainda bem que os ‘oitavos’ foram como foram e que os ‘quartos’ foram com a Espanha. Ajuda-nos a perceber onde estamos, que ambição temos e o que queremos daqui para a frente”, concluiu o selecionador.

A partida das meias-finais entre Portugal e Cazaquistão disputa-se a partir das 20:00 (18:00 em Lisboa) de quinta-feira, na Zalgiris Arena, em Kaunas, um dia depois de Brasil e Argentina se defrontarem no outro encontro, em busca de um lugar na final.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.