Recém-promovido à primeira divisão, o Operário dos Açores tem sido, até ao momento, a surpresa deste campeonato.

A quase inexistente pré-temporada com jogos competitivos e as muitas alterações no plantel não se têm feito sentir nos jogos a sério.

Frente a SC Braga e SL Olivais, o emblema insular soube construir duas importantes vitórias, que lhe valem a liderança do campeonato nacional de futsal.

Em entrevista ao SAPO Desporto, o treinador do Operário, Roger Augusto, revela que o segredo do sucesso inicial deste grupo tem estado «na sua qualidade e na sua entrega total». Solidariedade é outra das palavras de ordem do técnico para justificar os triunfos alcançados.

«Temos sido muito solidários e muito trabalhadores com o objetivo de fazer pontos. Estamos muito comprometidos com o projeto e isso faz com que as coisas resultem», referiu o técnico.

Apesar dos seis pontos obtidos, Roger Augusto sabe que o grau de dificuldade vai aumentar e é já na próxima jornada. A Académica "é a senhora" que se segue.

«É a nossa prova do fogo, não só porque é o nosso próximo jogo mas porque das equipas que subiram de divisão é a que melhor se reforçou. Principalmente com jogadores do Instituto D. João V (equipa que foi extinta). Há uma ligação ao Instituto e às boas performances que essa equipa fez no futsal», concluiu o treinador dos açorianos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.