Portugal até esteve em vantagem na primeira parte por 1-0, no entanto o “desnorte” do segundo tempo desmoronou por completo aquilo que até então estava a ser feito.

Orlando Duarte assumiu isso mesmo em conferência de imprensa: “Nós sabíamos qual era o caminho, sabíamos o que é que devíamos fazer, mas a partir de determinado momento deixámos de o fazer, deixámos de raciocinar. Naqueles cinco minutos da segunda parte, provavelmente porque sofremos o segundo golo muito cedo, deixámos de pensar o jogo, começámos a jogar de uma forma mais aleatória quando tínhamos bola”.

O técnico afirmou mesmo que a sua equipa voltou a cometer erros que já não eram habituais: “Hoje voltamos a um tempo passado com erros”.

Para esta partida, o seleccionador não pode contar com dois jogadores importantes: Ricardinho e Joel Queirós. Quando questionado sobre o peso da ausência destes, Orlando Duarte recusou justificar a má exibição com a não participação destes dois jogadores: “Não podemos viver de 14 jogadores, isso não está em questão. Queremos depender de todos e não depender de ninguém”.

O treinador revelou ter avisado os seus jogadores para os erros que  hoje cometeram. Assim, garante que já não vai avisar mais para o jogo de amanhã, agora parte deles mostrarem outra atitude em campo: “Amanhã não vou fazer prelecção nenhuma, não vou dizer nada. Eles vão ter que se organizar em função daquilo que nós temos feito ao longo destes períodos. Eles que se organizem. Por muito que preparemos os jogos, os erros acontecem naqueles alertas que nós falamos. Por isso amanhã não falo com ninguém”.

Portugal e Brasil voltam a encontrar-se esta quarta-feira às 20h30m, mas agora no Pavilhão Multiusos de Viseu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.