A seleção lusa teve, este sábado, o teste mais sério à sua capacidade competitiva e passou-o com distinção perante a Rússia.

O resultado final foi um empate, mas a seleção orientada por Jorge Braz fez por merecer mais do que isso. Portugal rematou mais, teve mais cantos, e só por falta de pontaria, ou por culpa do guarda-redes Gustavo, a vitória não pendeu para o lado português.

Os jogadores lusos remataram 32 vezes ao longo do encontro, sendo que 12 deles foram em direção da baliza. Já a Rússia ficou-se pelos 24 remates com nove deles a causarem maiores problemas ao guarda-redes.

Ricardinho foi quem mais rematou (sete vezes), um deles resultou em golo. Mas Gonçalo Alves esteve mais eficaz pois em quatro remates marcou dois golos.

Já no capítulo disciplinar, Cardinal esteve mais faltoso (3), mas foi Ricardo Fernandes que com uma falta, quando puxava o adversário, viu o cartão amarelo.

Do lado da Rússia, o jogador em destaque foi Éder Lima. O pivot tentou a sua sorte por seis vezes, três delas à baliza, o que resultou em dois golos. Abramov também esteve em evidência ao fazer três remates e a marcar um tento.

Já Pula acabou por ser protagonista do encontro ao ver um cartão vermelho direto. Arnaldo adiantou a bola de cabeça e Pula, ao tentar travá-lo, pontapeou-o.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.