“Não tenho tido nenhuma dor, nenhuma recaída… sinto alguma falta de confiança, que faz parte e é normal. Para ser perfeito deveria ter havido quatro ou cinco jogo de Liga e depois sim haver um estágio, mas já sabemos que não conseguimos controlar tudo. Dentro do que controlamos sinto-me bem, com confiança, sinto a confiança do grupo e a proteção deles também… o trabalho do staff do departamento médico tem sido fantástico”, disse, declarações divulgadas pela Federação Portuguesa de Futebol.

Ricardinho, que entre os convocados é quem tem mais participações em fases finais de Mundiais e Europeus, referiu que se tem sentido “bem em cada jogo”, depois da lesão grave no tornozelo direito, e acredita que vai conseguir “chegar nas melhores condições físicas” à Lituânia.

Com 178 internacionalizações, o capitão, que foi eleito seis vezes o melhor jogador do Mundo, salientou que a equipa tem estado a crescer a cada treino e jogo.

“Agora já estamos na última etapa de preparação, com estes dois jogos diante do Paraguai. Acho que já vamos conseguir extrair um bocadinho mais daquilo que foi o complementar de todo o estágio até agora”, explicou.

A equipa liderada por Jorge Braz tem estado a trabalhar em Viseu para preparar os encontros da fase final do torneio, diante Tailândia, Ilhas Salomão e Marrocos. A estreia no Mundial será frente à Tailândia, em 13 de setembro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.