O selecionador nacional de futsal Jorge Braz vai tornar-se no embaixador número um do Alto Tâmega, uma iniciativa da Comunidade Intermunicipal que visa homenagear o bicampeão europeu e campeão mundial e promover o território, foi hoje anunciado.

A Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT) disse, em comunicado, que a cerimónia de homenagem a Jorge Braz se realiza na terça-feira, em Chaves, distrito de Vila Real.

O selecionador nacional de futsal é o primeiro a ser distinguido com o título de embaixador do Alto Tâmega.

O objetivo da rede de embaixadores é reconhecer o valor de cidadãos oriundos do território que, nas mais variadas áreas de atividade, têm tido “um percurso de excelência, mantendo o orgulho nas suas origens e tendo como princípios a humildade e a capacidade de superação”.

“O que desejamos é reconhecer pessoas que estão ligadas ao território, que mantêm essa mesma ligação e essa assiduidade e que também nos ajudam a promover o mesmo”, afirmou à agência Lusa Ramiro Gonçalves, primeiro secretário executivo da CIMAT.

E Jorge Braz, segundo o responsável, tem as “características certas”, como a “persistência, superação, ambição e humildade” para ser o “embaixador número um” do Alto Tâmega.

O objetivo é que, como embaixador, o selecionador nacional de futsal ajude a promover e a divulgar o território que grega seis concelhos: Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar.

Nascido em Edmonton (Canadá), Jorge Braz deu os primeiros toques na bola em Sonim, freguesia de Valpaços de onde eram os seus progenitores.

Foi guarda-redes do Grupo Desportivo de Chaves, clube onde fez a sua formação e chegou a jogador sénior. Foi depois na Universidade do Minho que, em 1997, começou o seu percurso como treinador de futsal.

Está ligado às seleções de futsal desde 2008 e comandou a seleção principal na conquista dos títulos europeus e mundial.

Ramiro Gonçalves referiu que a rede de embaixadores do Alto Tâmega agregará personalidades ligadas a diversas áreas.

“A perspetiva é reconhecermos quem indiretamente através da sua ação e do sucesso da sua ação individual, acaba por também transportar a identidade e a força da região, num projeto que ela tem de se autoafirmar e que tem sido muito bem-sucedido”, salientou.

Segundo referiu, apesar da pandemia, os verões de 2020 e 2021 foram “os melhores de sempre” para o turismo neste território, salientando ainda que a hoteleira esteve praticamente esgotada no fim se semana da Páscoa, perspetivando-se também boas taxas de ocupação para o fim de semana prolongado do 25 de Abril e da sexta-feira 13, que se celebra em Montalegre.

Ramiro Gonçalves referiu que “o elemento agregador deste território é a água”, uma estratégia que tem sido reforçada nos últimos anos e que agrega a águas nas duas diferentes dimensões, desde o termalismo, às águas minerais, o turismo de natureza, elemento produtor de energia, através dos complexos de barragens no Alto Rabagão e no Tâmega, ou como âncora para o setor primário.

“Pretende-se voltar a colocar a água no nosso centro de atenção, porque nos parece ser um elemento importante, identitário e diferenciador”, frisou.

A cerimónia na terça-feira, dia 26 de abril, vai decorrer no Posto de Turismo do Alto Tâmega, “o único do país que é supramunicipal”, e inclui um momento musical apresentado pela Academia de Artes de Chaves, a apresentação de um vídeo evocativo, culminando com a entrega da distinção pelo presidente da CIMAT, Amílcar Castro Almeida.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.