Na segunda posição, com mais um "shot", ficou o também inglês Oliver Fisher, com 269 (67+72+65+65), e na terceira o escocês George Murray, com 274 (66+67+68+73).

Morrison, que vai subir ao 31.º lugar da Corrida para o Dubai e ao 52.º da selecção europeia para a Ryder Cup, liderou a prova desde a segunda volta e hoje geriu uma vantagem de três pancadas, marcando no cartão um "eagle" - o terceiro no torneio -, três "birdies" e três "bogeys".

"No primeiro dia fiz um 'eagle' e o meu 'caddie' disse-me: não deixes fugir a liderança. Fica no comando até final e fixei para mim mesmo esse objectivo", afirmou Morrison, que esta temporada tinha já feito dois "top10": African Open (quarto) e Open da Andalucia (sexto).

Morrison, de 25 anos, arrecada um prémio de 116 660 euros, entra para o "clube dos campeões" do European Tour e sucede ao argentino Estanislao Goya, vencedor da última edição, também disputada no Porto Santo.

"Até agora o meu maior prémio era 38 500 euros e agora ganhei 116 000. Acho que vou livrar-me do meu Peugeot 206 e comprar uma coisa bastante melhor. Acho que com este dinheiro vou conseguir", ironizou o inglês.

A melhor volta do dia pertenceu a Fisher, com 65 pancadas, resultado que constitui recorde do campo (com um traçado de PAR 72) e o 18.º do "Open" regista um novo recorde para 72 buracos, com 20 pancadas abaixo do PAR.

O português Filipe Lima, que tinha sido 12.º o ano passado, registou o pior resultado, entregando um cartão de 77 pancadas, cinco acima do PAR, que o atirou do 19.º para o 55.º posto, com 288 "shots" (66+75+70+77), igualando o PAR do campo.

Lima fez dois “duplo-bogeys” e dois "bogeys" nos primeiros nove buracos e conseguiu recuperar um pouco nos segundos nove, com um “triplo-bogey” e quatro "birdies".

"Os birdies são mais difíceis de fazer nos primeiros nove buracos, mas não foi só isso que correu mal, porque depois também fiz mais nove. A culpa é minha", admitiu Lima, que hoje terá sido traído por alguma fadiga física.

O português, que anunciou que irá às qualificações para o British Open e o US Open, explicou que está a fazer uma preparação física "muito dura", por forma a estar ao seu melhor nível nos meses de "Junho a Julho e Setembro a Outubro", e hoje sentiu "dores nas pernas".

O Madeira Island Open BPI Portugal, prova do Circuito Europeu, distribuiu 700.000 euros em prémios monetários.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.