O golfista norte-americano Tiger Woods, detentor de 14 títulos do ‘Grand Slam’ e de 79 torneios do circuito PGA, acordou hoje considerar-se culpado por condução negligente, aceitando cumprir um programa de reabilitação.

De acordo com a procuradoria de Palm Beach, do Estado norte-americano da Florida, Woods irá cumprir um programa de 50 horas de serviço comunitário e terá de frequentar um ‘workshop’ onde vítimas relatam como as ações de condutores imprudentes mudaram as suas vidas.

Tiger Woods tem sofrido vários problemas de saúde nos últimos dois anos, tendo sido submetido em abril é quarta cirurgia às costas desde 2014, para aliviar as dores permanentes de que padece.

Em maio deste ano, o ex-número um mundial foi detido cerca da 01:00 da madrugada na cidade de Jupiter, no sul da Flórida, por conduzir alegadamente sob influência de substâncias tóxicas, álcool e marijuana.

Os testes realizados posteriormente não revelaram a presença de álcool, tendo o jogador dito à polícia que o estado de desorientação e o discurso incoerente que apresentava na altura da detenção foram originados por uma reação adversa a alguns medicamentos.

Na sequência deste episódio, o golfista norte-americano admitiu que está a receber ajuda para lidar com a medicação que está a tomar para vários problemas de saúde.

O último torneio em que Woods participou foi a 03 de fevereiro último, no Dubai, mas acabou por desistir por não suportar as dores nas costas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.