A Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto (APCVD) abriu um processo de inquérito sobre os alegados insultos ao hoquista do Benfica Carlos Nicolía na visita de quarta-feira ao FC Porto.

"Na sequência do jogo de hóquei em patins entre FC Porto e Benfica, no Dragão Arena, a contar para a 13.ª jornada do Campeonato Nacional, face à notícia amplamente divulgada de eventuais atos de intolerância para com o jogador de uma das equipas e podendo estar em causa a prática de lícitos de natureza contraordenacional, a Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto (APCVD) instaurou um processo para apuramento dos factos e responsabilidades daí decorrentes", referiu uma fonte do organismo.

Depois do jogo de quarta-feira, o jogador argentino recorreu às redes sociais para denunciar insultos vindos de uma parte da bancada do pavilhão dos 'azuis e brancos', que terão chamado "assassino" a Nicolía, acusando-o da morte da mulher, que faleceu antes de vir para Portugal, devido a doença prolongada.

O Benfica também criticou os alegados insultos em comunicado publicado no site oficial, no qual "expressa total solidariedade para com o seu jogador Nicolía, uma vez mais insultado, desrespeitado enquanto homem, atleta e pai".

"O Sport Lisboa e Benfica lamenta que os autores destes sucessivos atropelos à dignidade humana e aos valores do desporto não sejam identificados e, definitivamente, impedidos de frequentar espaços desportivos", lê-se.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.