"É gente com experiência e com muita ganância para conquistar troféus. A palavra de ordem é ganhar. Relativamente aos jogadores que irão ser seleccionados, os eleitos serão os melhores, independentemente da idade cronológica, do bilhete de identidade. Não é pela idade que se vê um bom jogador", afirmou Jorge Lopes, um dos dois elementos que permanece na Federação de Patinagem de Portugal (FPP).

Jorge Lopes e o seu adjunto nos sub-17, Paulo Tina, são os "repetentes" da estrutura, que conta com mais outros cinco elementos, também presentes na cerimónia de apresentação, na sede lisboeta da FPP.

"Não se pensa noutra coisa nesta casa que não em ganhar. Vamos colocar todo o empenho para Portugal voltar à ribalta", afirmou Rui Neto, novo responsável pelos seniores e sub-23 e que será co-adjuvado por Luís Teixeira, destacando o "trabalho muito válido" do seu antecessor, Luís Sénica, agora ao serviço do Benfica.

Portugal não vence um Europeu da modalidade desde que organizou o torneio continental em 1998, em Paços de Ferreira, além de não alcançar o "ceptro" mundial desde outra fase final também realizada em solo luso, em Oliveira de Azeméis (2003).

A equipa técnica do escalão sub-20 será composta por Luís Duarte e Pedro Mendes, enquanto Ernesto Sebastião terá a seu cargo as selecções femininas de seniores e sub-20.

Segundo o presidente da FPP, Fernando Claro, o perfil delineado e respeitado na designação dos novos responsáveis técnicos baseou-se na sua "formação", "capacidade de liderança, aceite e não imposta", nos "conhecimentos do hóquei nacional e internacional", na sua "dedicação" e no facto de não se encontrarem "ligados a clubes".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.