O novo selecionador de hóquei em patins, Paulo Freitas, afirmou esta quinta-feira que aceitou a proposta da Federação de Patinagem de Portugal (FPP) com o intuito de, através da sua experiência, ajudar a conquistar títulos e objetivos.

“É uma oportunidade e há que agarrá-la para atingir os objetivos. Tenho orgulho pelo trajeto que tenho vindo a fazer, no qual muita gente tem ajudado, e é também trazer para a federação a minha experiência para poder ajudar a conquistar títulos. Estarei aqui nessa perspetiva”, assumiu, durante a conferência de imprensa de apresentação.

No auditório do Comité Olímpico de Portugal, Paulo Freitas apontou que os objetivos são “muito claros”, passando por ganhar e, como tal, fará tudo o que estiver ao seu alcance para atingir os resultados, com o sentimento de orgulho e honra pelo convite, que acumula com o cargo técnico do Óquei de Barcelos, com o qual mantém contrato.

“Tentar que os dias possam ter mais do que 24 horas não seria mau. Sou uma pessoa organizada, terei de me organizar ainda mais e melhor para poder trabalhar nos dois projetos. Sendo bem gerido, o tempo permite-me fazer isso, por muito que a minha vida pessoal possa ter algumas situações que não possam ser compatibilizadas. Vou conseguir, com organização e algum sacrifício, trabalhar nos dois projetos”, explicou.

O espaço da seleção “tem de ser de grande compromisso e qualidade”, sem olhar às idades, mas sim ao mérito, e, no momento de decidir a convocatória, Paulo Freitas assegurou que não haverá “qualquer questão impeditiva ou de relação” para chamar jogadores do Óquei de Barcelos, clube com o qual tem contrato até ao final da época.

“É um facto que tenho contrato até ao final desta época desportiva com o Óquei de Barcelos. Não que já não tivéssemos falado sobre as possibilidades de vir a renovar, mas agora isso não é minimamente importante. Há uma parte final da temporada para trabalhar no Óquei de Barcelos, onde há objetivos a atingir. Quando tiver de acontecer qualquer circunstância de renovação ou não, as coisas serão tratadas”, disse o técnico.

O presidente da FPP, Luís Sénica, esteve ao lado do novo selecionador na conferência de imprensa, na qual deixou elogios a Paulo Freitas, considerando esta “uma parceria que será fundamental” e mostrando-se pronto para “arregaçar as mangas e trabalhar”.

“Foi um processo tranquilo por parte da federação. É uma escolha segura e que nos dá as garantias necessárias para o trabalho da seleção nacional nas próximas duas épocas. Tem um currículo sobejamente conhecido, é alguém devidamente identificado com o campeonato nacional e com um conhecimento profundo do hóquei internacional e de jogadores. Estamos muito satisfeitos por ter o Paulo connosco”, expressou o dirigente.

O antigo guarda-redes, de 55 anos, é o atual treinador do Óquei de Barcelos, depois de uma passagem de seis temporadas pelo Sporting, de 2016/17 a 2021/22, coroada com a conquista de vários títulos nacionais e internacionais que pautam um vasto currículo.

Pelos ‘leões’, Paulo Freitas venceu dois campeonatos (2017/18 e 2020/21), duas Ligas dos Campeões (2018/19 e 2020/21) e duas Taças Continentais (2019/20 e 2021/22), enquanto no Óquei de Barcelos, na primeira passagem, ergueu a Taça CERS (2015/16).

Paulo Freitas sucede a Renato Garrido, que levou Portugal à conquista do Mundial2019 e que, ao fim de quatro anos, deixou a seleção após a final do Euro2023 perdida para a Espanha (4-2), em julho, em Sant Sadurní d’Anoia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.