O treinador de hóquei em patins do Sporting, Paulo Freitas, disse hoje partir para a nova temporada com o objetivo de reconquistar o campeonato, na posse do FC Porto, e de revalidar o título de campeão europeu.

"Os objetivos passam por reconquistar o campeonato, que, pese embora o mérito de quem o conquistou, sentimos que houve algum demérito da nossa parte, e voltar a conquistar a Liga Europeia. Temos também a Taça de Portugal e outras duas taças, a Continental e a Intercontinental, que também queremos obviamente lutar pela vitória", afirmou.

Em declarações após um treino aberto à comunicação social, Paulo Freitas elogiou os três reforços do plantel (Telmo Pinto, Verona e João Souto) e revelou que estão a ser bem acolhidos pelo resto do grupo.

"Os reforços foram muito bem recebidos. A principal dificuldade é interiorizar alguns conceitos, que temos noção que se vai processar de forma gradual. Até ao momento, estou satisfeito com eles. Podem trazer coisas diferentes das que tínhamos. Quanto mais qualidade existir, melhor para o grupo de trabalho", sublinhou.

O técnico, de 51 anos, considera existirem quatro candidatos ao título nacional e aproveitou para analisar o FC Porto, um dos adversários da Taça Continental, a realizar-se no pavilhão João Rocha, em 28 e 29 de setembro.

"Continuam a existir quatro candidatos crónicos ao título. É talvez a modalidade coletiva em que existe um maior número de candidatos assumidos. O FC Porto tem de integrar quatro jogadores e podem haver problemas iniciais para interiorizar alguns conceitos, mas os jogadores novos são de grande qualidade. Estamos muito parecidos", avaliou.

O guarda-redes e capitão do plantel 'leonino', Ângelo Girão, realçou a falta de regularidade e humildade como fatais para perder o título nacional, mas afirmou que o grupo tem de trabalhar muito para continuar a alcançar títulos.

"Quem ganha, é o justo vencedor. No ano passado, penso que tínhamos a melhor equipa do campeonato, mas acabámos por não vencer. Queremos ser mais regulares e competentes, perdemos o campeonato por culpa própria, pois não fomos humildes em jogos que tínhamos de o ser", disse.

Girão considera que a equipa terá de pensar apenas "jogo a jogo" e que a exigência "está sempre presente", num campeonato que, na sua opinião, está "cada vez mais forte".

"O pensamento desta equipa tem de ser jogo a jogo. A competição em Portugal está cada vez mais forte, todos os anos chegam novas ?estrelas' a este campeonato. A exigência está sempre presente, sinto pressão em todos os jogos, não gosto de falhar", expressou.

O guardião, de 29 anos, mostrou-se lisonjeado por ser considerado um dos melhores do mundo e afirmou que se sente "muito feliz" a jogar no Sporting.

"Ter o meu nome ligado aos melhores do mundo é sempre um elogio. Com o trabalho e os títulos, surgem essas comparações, mas o meu objetivo principal é ajudar o clube, que é um dos melhores na modalidade. Estou muito feliz aqui e, enquanto for acarinhado e tiverem confiança em mim, não tenho razões para sair", concluiu.

O Sporting, campeão europeu de hóquei em patins, iniciou os treinos de preparação para a próxima temporada em 22 de agosto, com o pensamento já na Taça Continental, na qual defronta os italianos do Sarzana nas meias-finais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.