O selecionador português de hóquei em patins reconheceu hoje que Portugal entrou mal no primeiro jogo do Campeonato do Mundo, mas defendeu que o triunfo sobre Angola, por 6-2, acabou por ser “tranquilo”.

«Portugal não entrou muito bem, mas o jogo valeu pela vitória e pela exibição realizada na segunda parte. Foi um triunfo tranquilo, importante, também, por termos virado o jogo de 2-0 para 6-2. Criámos várias situações e podia ter conseguido mais golos. A seleção pode fazer melhor amanhã [segunda-feira] no jogo com Moçambique», afirmou Rui Neto.

Sobre os incidentes registados ao intervalo entre os jogadores, na sequência da agressão do angolano Humberto Mendes ao português Vítor Hugo, o técnico disse que «não é bom para a imagem do hóquei».

«São situações que não devem acontecer, mas qualquer um que já tenha estado na pista sabe que, às vezes, não se pode controlar», acrescentou Rui Neto.

Agastado com a arbitragem, o selecionador de Angola, o espanhol Miguel Riera, afirmou que «é difícil competir com um adversário e ter outro inimigo na pista, já que os árbitros estiveram a favor de Portugal».

«A cada jogo, é-lhes mais difícil ganhar-nos», sublinhou Riera, para quem este foi um jogo entre «duas potências, uma forma e outra que está em crescimento».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.