O selecionador de hóquei em patins, Rui Neto, assegurou que Portugal vai «lutar pelo título» no Campeonato do Mundo de San Juan, na Argentina.

«As expetativas são as normais e naturais nesta altura: lutar pelo título mundial. O objetivo primeiro é vencer a fase de grupos e depois ganhar jogo a jogo», disse Rui Neto à Agência Lusa.

A seleção lusa vai tentar conquistar em São Juan o título que lhe foge desde 2003, pondo cobro à hegemonia da “vizinha” Espanha e inverter a tendência de, salvo uma exceção, não conseguir vencer fora de Portugal.

«Temos que inverter essa situação. É para isso que trabalhamos e nos preparamos. Vamos ver se o conseguimos. Pelo menos, no final ficamos com a consciência tranquila que tudo fizemos para que isso acontecesse», disse.

Apenas por uma vez, na cidade italiana de Milão, em 1950, a seleção portuguesa chegou ao título mundial num campeonato realizado fora do país. Todos os restantes 14 títulos foram conquistados em Portugal.

«Vamos tentar inverter essa situação, mas temos que contar também com a Argentina, que tradicionalmente é muito forte, e com a Itália e França, que estão muito bem», defendeu.

Rui Neto avança a possibilidade de «surgirem algumas surpresas» neste Mundial, a disputar no renovado pavilhão de San Juan, com capacidade para sete mil espetadores, que perspetiva «equilibrado».

A Espanha, por seu lado, tricampeã mundial em título, depois do ouro em Vigo2009, Montreaux2007 e São José2005, joga em terras argentinas a possibilidade de igualar os 15 triunfos de Portugal.

A 40.ª edição do Mundial decorre pela quinta vez na cidade argentina de San Juan, local onde a Espanha se sagrou campeã em 1970, 1990 e 2001 e a Argentina em 1978.

Nas quatro edições realizadas em San Juan, a seleção portuguesa somou dois segundos lugares (1970 e 1990), um terceiro (1978) e um quarto (2001), naquele que foi um dos três piores resultados de sempre.

Apenas por três vezes a seleção lusa falhou o pódio dos Mundiais, respetivamente em Wuppertal, na Alemanha (1997), San Juan (2001) e Montreux, Suíça (2007).

A equipa portuguesa ficou integrada no quase totalmente “lusófono” Grupo C, com Angola e Moçambique, além dos Estados Unidos, numa fase em que se apuram os dois primeiros para os quartos de final.

«Teoricamente, as seleções mais fortes do grupo são Portugal e Angola, mas não podemos menosprezar o valor dos outros adversários», disse Rui Neto, acrescentando que «todos têm que ser respeitados».

Ainda de acordo com o selecionador, «os Estados Unidos serão o adversário mais fácil, mas a seleção de Moçambique, com atletas a disputar o campeonato português, será um opositor a ter em conta».

Os restantes grupos são compostos da seguinte forma: Espanha, Chile, Suíça e Holanda (Grupo A), Alemanha, Argentina, África do Sul e Itália (B) e Inglaterra, Colômbia, França e Brasil (D).

Os dois primeiros classificados do grupo de Portugal (C) cruzam-se nos quartos-de-final do Mundial com os dois primeiros do Grupo D.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.