O selecionador português de hóquei em patins, Renato Garrido, revelou hoje após o estágio que Portugal fez em Sesimbra que gostaria de ter mais oportunidades para trabalhar com os jogadores.

O desabafo foi feito após os dois dias de estágio que Portugal teve com o objetivo de preparar o Campeonato do Mundo Argentina2022, que decorre na cidade de San Juan, entre 02 e 13 de novembro.

“É importante podermos trabalhar em contexto de seleção. Podíamos alargar grupos de trabalho e experimentar mais jogadores, mas não temos essa oportunidade. Tenho pena de não fazermos isto mais vezes. Aqui conseguimos aferir situações e dar oportunidades a mais jogadores”, disse.

Em comparação com o que acontece com as seleções noutras modalidades, Renato Garrido lamenta o facto de o hóquei em patins não ter o espaço que beneficiaria, em muito, o trabalho da equipa.

“Da relação que tenho com o Jorge Braz, no futsal, e o Paulo Pereira (andebol), que têm a vantagem de fazer pré-épocas ou preparação de competições europeias ou mundiais em contextos competitivos, sei que não é assim. Infelizmente, no hóquei isso não acontece e era importante que não fosse assim”, sublinhou.

Por serem importantes todas as ocasiões em que a comitiva nacional se reúne, o selecionador, que convocou 15 atletas para o estágio que decorreu no pavilhão do Grupo Desportivo de Sesimbra, emblema que celebra no próximo mês de agosto 75 anos, fez um balanço positivo do estágio.

“Foi extremamente positivo. Era exatamente isto que queríamos: alargar o grupo de trabalho e fazer algum trabalho depois de um final de época muito desgastante. A seleção não é uma equipa fechada, mesmo sabendo que há jogadores que trabalham connosco há muito tempo e que nos dão confiança. Há outros valores que também podem aparecer na seleção”, frisou.

Em relação à defesa do título mundial, conquistado em 2019, em Espanha, Renato Garrido assegura que Portugal vai a San Juan em novembro em busca da revalidação do cetro de campeão.

“O primeiro objetivo é estar presente na final. Somos sempre candidatos a assumimo-lo sempre que representamos Portugal em qualquer competição europeia ou mundial”, afirmou.

O treinador português reconhece que a luta será árdua, uma vez que são várias a seleções de valor que vão ter de enfrentar.

“As seleções, quase todas, evoluíram e apareceu agora também a França, que, para mim, é um candidato. Vamos jogar numa cidade que respira hóquei e vamos jogar num pavilhão que leva cerca de nove mil espetadores. Há uma loucura total pelo hóquei em San Juan. A jogar em casa, a Argentina é a grande favorita, há a Espanha que ganhou o Europeu e nós também somos candidatos e estaremos sempre na luta”, vincou.

No estágio marcaram presença Pedro Henriques, Diogo Rafael 'Chiquinho' e Gonçalo Pinto (Benfica), André Girão, Henrique Magalhães e João Souto (Sporting), Telmo Pinto, José 'Rafa' Costa e Gonçalo Alves (FC Porto), Alejandro Edo (Calafell), João Rodrigues e Hélder Nunes (FC Barcelona), Álvaro Morais 'Alvarinho' e Miguel Rocha (Óquei Barcelos), Xavier 'Xavi' Cardoso (Oliveirense).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.