Luis Sénica (treinador do Benfica):

«Sabíamos que era uma equipa de qualidade bastante aceitável em termos ofensivos, que apresentou aqui movimentos bastante evoluídos para o nível do hóquei alemão, embora depois ficasse à vista alguma dificuldade nas manobras defensivas. O guarda-redes deles equilibrou as coisas.

Foi um jogo simpático. Entrámos bem nesta competição, à qual voltámos agora, e estamos felizes com os três pontos. Foi uma exibição agradável.

Melhorámos na segunda parte, mas só depois dos dois golos sofridos, aplicando maior agressividade e melhor circulação de bola.

O Benfica entra em todas as competições para ganhar. Nesta Liga Europeia, assumimos o objetivo de chegar aos dois primeiros lugares do grupo. Até vencer o grupo. Depois, na ‘final a 8’, tudo pode acontecer.»

Marc Berenbeck (treinador do Iserlohn):

«Parabéns ao Benfica. É um resultado justo, mas penso que houve um ou dois golos a mais. A minha equipa teve boas oportunidades para marcar mais golos.

Apresentámo-nos mais subidos e mais ofensivos porque sabíamos que o Benfica tem jogadores muito bons nos remates de longa distância.

Eles treinam todos os dias, são profissionais, mas o Iserlohn esteve muito bem para uma equipa alemã, embora algo nervoso, sobretudo os jogadores mais novos e na primeira parte, por estarem a defrontar o Benfica.»

Jorge Fonseca (jogador português do Iserlohn):

«Não se pode comparar o nível das duas equipas. Tivemos oportunidade para fazer o 4-3, mas o Benfica acabou por conseguir fazer o 5-2 num contra-ataque e, a partir daí, as forças já não estavam lá.

O Benfica vai vencer esta fase (de grupos). São grandes jogadores e formam um conjunto muito sólido e rotinado. No meu coração, creio que o Benfica vai ser campeão.»

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.