O Bloco de Esquerda (BE) da Figueira da Foz está contra o apoio municipal à realização da prova do Campeonato do Mundo de Motonáutica, que se realiza entre hoje e domingo na cidade, no rio Mondego.

“Em tempos de emergência climática, após a COP de Glasgow, onde se decidiram políticas para o fim de subsídios a combustíveis fósseis, o BE não aceita o apoio financeiro de quase 200 mil euros a uma modalidade desportiva que promove a utilização de motores altamente poluentes movidos a combustíveis fósseis”, refere um comunicado, enviado à agência Lusa.

Os bloquistas consideram que o ambiente não é uma prioridade do executivo do independente Pedro Santana Lopes, que, ”em campanha eleitoral, prometeu aprovar medidas ‘verdes’ como a plantação de milhares de árvores no concelho”.

“Com esta decisão, acaba por demonstrar que o ambiente não é uma prioridade do seu mandato, na mesma linha que o anterior executivo socialista, que também apoiou a realização de provas do campeonato nacional de motonáutica”, refere a nota.

O BE queixa-se de que a motonáutica é altamente poluente, com veículos a motor motores V6 com potências de cerca de 400 cavalos de força.

Para os bloquistas da Figueira da Foz, “trata-se de um sinal errado, quando em todo o mundo surgem competições desportivas com motorizações elétricas, sem emissões, como é exemplo a Fórmula E (versão elétrica da Fórmula 1), a Extreme E (prova todo-o-terreno em carros elétricos), o eSkootr (campeonato de scooter elétricas) e um campeonato de motonáutica de barcos elétricos, o E1 Series”.

“Porque é que a autarquia não apoia modalidades inovadoras e não poluentes? Porque é que um executivo que, em campanha eleitoral, prometeu liderança, inovação, sustentabilidade, não tem o rasgo de inovar a nível nacional e apoiar modalidades mais amigas do ambiente?”, questionam.

A direção local do partido lamenta ainda que o executivo municipal tenha aprovado, sem oposição do PS e do PSD, “um apoio de quase 200 mil euros para o campeonato mundial de Motonáutica, sem apresentar um qualquer estudo sobre o efeito económico no concelho do evento”.

O BE pretendia ver calculado o número de turistas que o evento vai trazer ao concelho e as vantagens para os agentes económicos, bem como o tipo de impacto que resulta para a cidade.

“A atribuição de avultados apoios financeiros à realização de eventos privados sem exigir a realização de uma análise custo-benefício da atividade, é uma prática que o BE da Figueira da Foz condena e reprova”.

A Figueira da Foz acolhe, no rio Mondego, a grande final do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 de Motonáutica, entre hoje e domingo, com a participação de pilotos de 10 países.

Segundo o presidente da Federação Portuguesa de Motonáutica, Paulo Ferreira, a prova vai contar com a participação de 18 barcos, que vão competir em duas corridas, na sexta-feira e domingo

Cada prova, realizada integralmente numa pista no rio Mondego, tem a duração de 45 minutos, nas quais os catamarãs podem atingir velocidades em reta de 250 quilómetros/hora.

A prova representa um investimento de meio milhão de euros e conta com a comparticipação do município da Figueira da Foz, que, em 17 de novembro, aprovou um apoio monetário para a iniciativa na ordem dos 100 mil euros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.