O halterofilista cazaque Nijat Rahimov, campeão olímpico nos Jogos Olímpicos Rio2016, foi hoje acusado de falsificar amostras de urina, num caso de doping que pode ‘ameaçar' a medalha de ouro que conquistou no Brasil.

Rahimov, um azeri naturalizado cazaque, foi acusado pela Agência Internacional de Testagem (ITA, na sigla inglesa) de substituição de amostras de urina, "a ter ocorrido num período de 2016", uma acusação feita também a outro halterofilista, o romeno Dumitru Captari, campeão da Europa em 2017 em -77 kg.

A vitória no Rio2016 foi feita de forma categórica, lançando dúvidas de imediato, com um novo recorde do mundo nesta mesma categoria de peso, em que Captari foi 14.º, e chegou no final de uma suspensão de dois anos para Rahimov, entre 2013 e 2015, então quando competia pelo Azerbaijão.

Rahimov e Captari estão suspensos preventivamente, enquanto os casos disciplinares decorrem, em novo escândalo de doping no halterofilismo, desde 2020 envolto em polémica após a saída do antigo presidente da federação internacional, Tamas Ajan, na sequência de uma reportagem da televisão alemã ARD que expunha problemas sistémicos de dopagem e corrupção naquela modalidade.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.