O Centro de Alto Rendimento (CAR) de Montemor-o-Velho vai estar operacional quando, em 06 de janeiro, as seleções de canoagem regressarem ao trabalho, rumo aos Jogos Olímpicos Tóquio2020, disse hoje o presidente da federação, Vítor Félix.

“Encontrámos um cenário de muita lama e muita sujidade e a nossa prioridade foram somente operações de limpeza para garantirmos os serviços mínimos para que os nossos atletas, no dia 06, no início do estágio das equipas nacionais, possam ter condições mínimas de treino”, revelou, à agência Lusa.

Em função das cheias que afetaram gravemente a região do baixo Mondego, o CAR ficou submerso por uma camada de aproximadamente dois metros de água, com a federação e a autarquia a começarem agora a fazer uma avaliação dos prejuízos materiais.

“Ainda estamos a fazer um levantamento de toda a parte elétrica da torre, do sistema de partidas e do sistema de cronometragem. Isso vai durar cerca de uma semana. Depois, junto das autoridades e administração publica desportiva, reclamaremos se houver danos avultados”, relatou.

Menos sorte em relação ao ginásio: “Não foi devidamente acautelado e tudo o que era aparelhos eletrónicos – como passadeiras, bicicletas e steps – eventualmente está danificado e não tem reparação.”

O nível da água está ainda um metro acima do normal, contudo, afiança que “já se pode treinar”. Urge agora tratar da parte da eletricidade, pois sem a mesma é “impossível treinar depois das 17:30”.

O dirigente elogiou os contactos permanentes por parte do ministro da tutela, Tiago Brandão Rodrigues, e do secretário de estado do desporto, João Paulo Rebelo, com mensagens de “tranquilização e dizendo que o Estado assumirá as suas responsabilidades no financiamento dos eventuais danos causados pela intempérie”.

“Chamo a atenção que o CAR é um investimento público que rondou os 27 milhões de euros e não pode ser esquecido. Montemor-o-Velho é a casa da canoagem. Onde fazemos os campeonatos nacionais, da Europa e do Mundo. Não podemos esquecer que 2020 é ano de Jogos Olímpicos e não queremos que a preparação seja prejudicada. Esta é a única pista de canoagem do país e uma das melhores do mundo”, vincou.

Vítor Félix agradeceu a ajuda da centena de pessoas que hoje passou o dia no CAR em limpezas de hangares, balneários, ginásio e tudo o que são acessos, nomeadamente dos atletas à água.

A canoagem é a modalidade lusa com mais qualificados para Tóquio2020, com seis na pista e um no slalom, nomeadamente Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista, David Varela e Teresa Portela, bem como Antoine Launay nas águas bravas.

Em maio, na Alemanha, na fase de apuramento continental, a seleção vai procurar acrescentar vagas em K1 e K2 500 femininos, K1 200 e C1 2000 masculinos, além de tentar voltar a levar José Carvalho à prova olímpica de C1 no slalom, na qual foi nono no Rio2016.

Fernando Pimenta e Emanuel Silva conquistaram o único pódio da canoagem portuguesa em Jogos Olímpicos, com a prata em K2 1000 em Londres2012.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.