A exemplo de edições anteriores, o atletismo apresenta um grande leque de atletas candidatos à conquista de títulos e lugares no pódio, com realce para o recente campeão mundial do triplo salto Pedro Pablo Pichardo, forte candidato à conquista do título europeu.

A comitiva de 23 atletas que representou Portugal nos Mundiais de Eugene, nos Estados Unidos, não trouxe mais qualquer medalha, mas alguns resultados bem dentro do 'top 10' deixam em aberto a possibilidade de mais lugares no pódio.

Ainda sem títulos para Portugal ao ar livre, já foi campeã mundial e europeia em pista coberta, Auriol Dongmo é aposta para o título no lançamento do peso feminino, enquanto Liliana Cá vai tentar melhorar o seu sexto lugar alcançado no disco dos mundiais e Patrícia Mamona chegar ao lugar mais alto do pódio, repetindo o título de 2016, em Amesterdão, Países Baixos.

Em crescendo nos últimos anos, a canoagem é igualmente sinónimo de títulos, em que o destaque vai para Fernando Pimenta, que, apesar das três medalhas nos recentes campeonatos do mundo de Halifax, no Canadá, vem tentar o ouro numa das suas provas de eleição, o K1 5.000, o qual foi obrigado a desistir no Mundial por ter partido o leme do kayak, numa altura em que liderava a prova.

Além de Pimenta, a comitiva portuguesa faz-se acompanhar por outros canoístas com ambições aos postos cimeiros, como o K4 formado por João Ribeiro/Messias Baptista/Emanuel Silva/David Varela e Teresa Portela.

Depois da conquista das medalhas de bronze por Marcos Freitas, no torneio de singulares, e por João Monteiro e Tiago Apolónia, em pares, nos Europeus de Varsóvia, a expetativa da representação lusa no ténis de mesa é de, pelo menos, poder repetir o feito, tendo trazido para estes campeonatos nove atletas, quatro masculinos (João Geraldo, João Monteiro, Marcos Freitas e Tiago Apolónia) e cinco femininos (Inês Matos, Fu Yu, Matilde Pinto, Patrícia Santos e Shao Jieni).

Nas restantes modalidades com representação portuguesa nestes campeonatos de Munique, realce ainda para o triatlo, que traz oito atletas, dos quais se destacam Vasco Vilaça e os olímpicos João Silva, João Pereira e Melanie Santos.

Vasco Vilaça, 22 anos e vice-campeão do Mundo em 2020, é o atual quarto classificado do ranking mundial, sendo o principal candidato luso a uma medalha nos campeonatos, além de estar a lutar por garantir a presença nos Jogos de Psris2024.

O experiente João Silva, de 33 anos, ocupa o 14.º lugar da mesma hierarquia internacional, sendo igualmente um dos principais trunfos de Portugal na procura de um bom resultado na Alemanha.

Estes triatletas vão ser acompanhados de João Pereira, Miguel Tiago Silva e Ricardo Batista na prova que decorre em 13 de agosto e que mantém as distâncias olímpicas, ou seja, 1,5 quilómetros de natação, 40 de ciclismo e 10 de corrida.

No setor feminino, Melanie Santos largará ao lado de Maria Tomé e Helena Carvalho, na competição de 12 de agosto, um dia antes dos homens.

Em 14 de agosto, decorre a prova de estafetas mistas, que conta para o apuramento olímpico para Paris2024, algo em que o triatlo português procura estrear-se.

No ciclismo, a olímpica Maria Martins integra a equipa de nove corredores portugueses para os Europeus, com provas distribuídas pelas vertentes de estrada, pista e BTT.

Sétima classificada na prova de omnium em Tóquio2020, Maria Martins, de 23 anos, vai competir na pista, vertente na qual contabiliza várias medalhas em europeus, sobretudo jovens, e também na estrada, neste caso em 21 de agosto, em 129,8 quilómetros adequados a roladoras e velocistas.

Antes, entre 12 e 16 de agosto, na vertente de pista, a atleta do Le Col-Wahoo será acompanhada de Daniel Dias, Daniela Campos, Diogo Narciso e Iúri Leitão, mas a distribuição dos corredores pelas diferentes disciplinas ainda será decidida pelo selecionador Gabriel Mendes, sendo certo que Portugal terá representantes em scratch, eliminação, corrida por pontos, omnium e madison.

Ainda na estrada, Rui Oliveira (UAE Team Emirates) será o único homem luso, numa prova com 209,4 quilómetros composta por cinco voltas a um circuito essencialmente plano e cujas dificuldades geográficas que não deverão ser suficientes para afastar os ciclistas rápidos da discussão do título.

Em 19 de agosto, Mário Costa e Ricardo Marinheiro avançam no cross country olímpico (XCO), um dia antes de entrar em ação Joana Monteiro.

No remo, o olímpico Afonso Costa e o seu irmão Dinis, em double-scull ligeiro (LM2x), vão ser os únicos portugueses nos Europeus.

Depois da estreia olímpica, ao lado do experiente Pedro Fraga, com o 13.º lugar em Tóquio2020, Afonso, de 26 anos, voltou a juntar-se ao irmão Dinis, com 24, com quem evoluiu boa parte da carreira e conquistou uma medalha de bronze nos Jogos do Mediterrâneo, em Tarragona2018, em Espanha, ano em que foram ouro nos Europeus universitários, em Coimbra.

A dupla pretende estar em Paris2024, sendo que, na primeira fase de apuramento olímpico, que será nos mundiais de Belgrado, em 2023, precisam qualificar-se entre as sete tripulações mais fortes.

Na ginástica artística, Filipa Martins é o principal nome de uma comitiva de 10 ginastas, cinco femininas e cinco masculinos.

A competição feminina, na qual Portugal estará representado por Filipa Martins, Mariana Parente, Maria Mendes, Mafalda Costa e Lia Sobral, decorrerá entre quinta-feira e 14 de agosto, enquanto a masculina, que contará com Joel Catarino, Filipe Almeida, Marcelo Marques, Guilherme Campos e José Nogueira, decorre entre 18 e 21 de agosto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.