A Federação Portuguesa de Canoagem (FPC) está “extremamente satisfeita” com as três medalhas hoje conquistadas pela seleção nos Mundiais do Canadá, confiando que no domingo esse pecúlio “vai aumentar” em Halifax.

“A prata e o bronze do Fernando Pimenta [K1 1.000 e 500 metros, respetivamente], conquistados com uma hora de intervalo entre as provas, mostra porque ele é considerado uma das grandes referências internacionais da modalidade e um orgulho para Portugal”, ilustrou, à Lusa, o vice-presidente da FPC Ricardo Machado.

A este pódio, junta-se o bronze de Norberto Mourão na classe adaptada de VL2, “em mais uma prova do valor de um atleta que tem estado de forma consistente nos diversos pódios internacionais nos últimos anos”.

O dirigente destacou ainda o sétimo lugar do K4 500 metros de João Ribeiro, Messias Baptista, Emanuel Silva e David Varela, recordando que este resultado, no Mundial do próximo ano, “garante o apuramento” para os Jogos Olímpicos, destinado aos 11 barcos mais fortes do mundo, que devem incluir representantes de quatro continentes.

Para domingo, em que Portugal tem mais cinco finais, o responsável destacou as duas de Fernando Pimenta, em K1 5.000, na qual defende a prata de 2021, bem como o K2 500 misto com Teresa Portela, “numa embarcação que junta duas referências do desporto em Portugal”.

“Não esqueço o K2 500 metros do João Ribeiro e do Messias Baptista, com um percurso a todos os títulos notável. Pelo que têm feito esta época, vão estar, certamente, entre os lugares de frente”, sentenciou, sobre a tripulação que este ano foi ouro e bronze nas Taças do Mundo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.