O português José de Sousa foi escolhido para disputar a Premier League de dardos em 2021, anunciou hoje a Professional Darts Corporation (PDC), um dia depois de terminado o Mundial da modalidade, em Londres.

O jogador ribatejano foi eliminado pelo inglês Mervyn King na terceira ronda do Campeonato do Mundo, conquistado por Gerwyn Price, mas as boas prestações alcançadas ao longo do ano valeram-lhe um dos seis ‘wild cards’ para disputar a competição da Sky Sports.

“É uma grande notícia, porque se trata de uma Liga de primeira classe, onde só jogam os dez melhores jogadores de todo o mundo. Melhor do que isto não podia acontecer. Estou nas nuvens”, disse José de Sousa em declarações à agência Lusa.

A Premier League de dardos é uma competição exclusiva, na qual participam apenas os quatro primeiros classificados da Ordem de Mérito PDC, que engloba os resultados dos últimos dois anos, e seis ‘wild cards’ escolhidos pela organização.

“Para além de ter sido o quinto melhor do último ano, creio que a maior influência na decisão da organização foi ter ganho o Grand Slam [em novembro]. Isso ajudou-me bastante para ser selecionado para a Premier League”, comentou o jogador natural da Azambuja.

Desta forma, José de Sousa vai competir com Gerwyn Price, Michael van Gerwen, Peter Wright e Rob Cross, além dos ‘wild cards’ Gary Anderson, Glen Durrant, Nathan Aspinall, Dimitri Van den Bergh e um último jogador que só será anunciado após o torneio ‘The Masters’, no final deste mês.

A Premier League 2021 estava agendada para ter início em 04 de fevereiro, mas foi adiada para data a determinar, segundo a organização, “nunca antes da Páscoa”, devido à pandemia de covid-19.

Na competição, que teve a sua primeira edição em 2005, os participantes defrontam-se em duas fases de todos contra todos. No final da primeira fase, os dois últimos classificados são eliminados, e na segunda fase os quatro primeiros passam à final e os quatro últimos ficam pelo caminho.

A final é disputada pelos quatro melhores classificados na ‘play-off night’ (noite de ‘play-off’) em sistema de eliminatória.

“Em primeiro lugar, nunca me passou pela cabeça que algum dia pudesse jogar a Premier League. Agora é tentar ganhar o máximo de jogos e confrontos possíveis. Se conseguir, quem sabe se poderemos voltar a falar de um novo título”, admitiu o jogador português.

Em novembro de 2020, José de Sousa tornou-se no primeiro estreante a vencer o Grand Slam da Professional Darts Corporation (PDC), ao bater o inglês James Wade, na final, por 16-12.

Foi o melhor resultado de sempre de um jogador de dardos português no circuito profissional, a juntar aos triunfos no European Darts Grand Prix, em outubro, e aos Players Championships de Barnsley e Dublin, em 2019.

José de Sousa, de 46 anos, natural da Azambuja, ganhou o cartão de jogador do ProTour em 2019, ano em que deixou de lado a sua profissão de carpinteiro e passou a dedicar-se a tempo inteiro aos dardos.

Os resultados obtidos ao longo do último ano valeram-lhe o quinto lugar na Ordem de Mérito do Pro Tour, com um total de 63.500 libras em prémios (cerca de 70 mil euros), de acordo com o site da Professional Darts Corporation.

Nos últimos dois anos, José de Sousa acumulou 314.250 libras (perto de 350 mil euros), que representam o 15.º lugar na Ordem de Mérito da PDC.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.