A aposta na formação, com vista a atingir os mais altos níveis nas competições nacionais, constitui o desafio comum dos dois candidatos à presidência da Associação Provincial de Judo (APJ) da Huíla, que vão à voto no dia 11 deste mês.

Cristóvão Mucongo concorre à sua própria sucessão (lista B) e terá como opositor Agostinho Lemos da Costa, pela lista A.

Em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, no Lubango, o judoca Agostinho Lemos da Costa disse ter como prioridade reestruturar o estado da modalidade, que considerou estar em queda há anos, bem como unir cada vez mais os atletas e organizá-los em núcleos para o desenvolvimento da atividade.

Segundo o candidato, para a concretização das ações previstas, caso vença as eleições, poderá contar com a parceria das administrações municipais e comunais, na criação de condições para a promoção e incentivo de núcleos locais, como forma de impulsionar a prática da modalidade.

Já Cristóvão Mucongo tem no seu projeto a promoção da formação técnica e profissional de mestres e árbitros, bem como a promoção da legalização de escolas, para a consequente massificação da modalidade.

O atleta estabeleceu igualmente como foco melhorar as condições dos desportistas a todos níveis, para que possam competir de igual para igual com outros de vários pontos do país e não só.

A Huíla já foi campeã nacional de Judo, em 2001, pelo Clube “BKE”, e arrebatou o prémio da taça da independência, disputada em 2010, em Benguela.

Já em individuais sagrou-se primeiro e terceiro classificados, respectivamente, em 73 e 81 Kg pelos atletas João de Assunção “Mestre Japonês” e Sério Garcia Sebastião “Major”.

A província tem fornecido, regularmente, lutadores à seleção angolana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.