Superou as expectativas a estreia de uma nova modalidade do ciclismo e logo com uma competição de nível internacional. O Red Bull UCI Pump Track World Championships decorreu este domingo (18 de outubro), em Lisboa, com a presença de meia centena de atletas de quatro países. O Campeão Nacional de BMX, Bruno Cardoso, levou a prata após o embate na final com o gaulês Dupont. Lisboa entrou com o pé direito no mapa internacional do circuito Red Bull UCI Pump Track World Championships, depois de receber no domingo (18 de outubro) uma etapa de qualificação com 55 atletas de quatro países: Portugal, Espanha, França e Letónia. Foi assim, pela mão de muitos nomes sonantes do BMX e do BTT, que se inaugurou a pista oficial do Parque Tejo, num sistema competitivo com sucessivos duelos ao cronómetro que culminou numa grande final (feminina e masculina) com os dois atletas mais rápidos. A competição realizou-se sem público, seguindo as recomendações da DGS.

Em masculinos, o gaulês Thibauld Dupont, de 24 anos, foi o grande vencedor da competição – sendo o único a conseguir baixar da fasquia dos 30 segundos (28.985 segundos). O atleta de BMX Racing mostrou-se “feliz e agradado” com a sua prestação e com as caraterísticas do traçado, que considerou “muito técnico e exigente”. Já com um ano de experiência nesta modalidade, Dupont foi, no entanto, cauteloso quando se referiu aos objetivos para a Final Mundial de 2021, para a qual acaba de garantir uma presença: “vou apontar para o Top 10”. Para Portugal, o grande motivo de orgulho foi sem dúvida a prestação do Campeão Nacional de BMX Bruno Cardoso. O atleta de 21
anos, que reside em França, deu-se bem com as caraterísticas desta modalidade: “Foi a minha primeira competição de Pump Track e por isso só posso estar contente por ter disputado a grande final e por levar a medalha de prata. Acabei por cometer alguns erros, mas tinha de arriscar”. Cardoso, que luta neste momento pela qualificação para os Jogos Olímpicos, tem igualmente um lugar assegurado na Final Mundial do próximo ano. Já em femininos, a letã Vineta Petersone bateu de forma categórica (por três segundos) a francesa Nolwenn Grajewski. Reconhecido em 2018 como modalidade oficial pela Federação Internacional de Ciclismo (UCI), o “Pump Track” proporciona um espetáculo único. A ação decorre numa pista de alcatrão, composta por uma sucessão de rolos e curvas, permitindo que os atletas progridam apenas com o balanço do corpo e sem praticamente pedalar.

Considerada acessível a todos, esta vertente permite a utilização de diferentes tipos de bicicletas, sejam estas de BMX, de BTT ou até de passeio. Com vista para o rio e a Ponte Vasco da Gama, a nova pista do Parque Tejo tem 285 metros de extensão e é composta por uma sucessão de 16 curvas e lombas.

O Red Bull UCI Pump Track World Championships, é aberto a maiores de 17 anos (masculinos e femininos), misturando atletas amadores com profissionais do ciclismo, oriundos de diferentes estilos, como o BTT Down Hill, Four Cross e as modalidades olímpicas do Cross Country ou BMX. A última edição reuniu mais de dois mil participantes de 19 países. Os melhores 67 chegaram à Final Mundial, um lote que incluía atletas olímpicos do BMX e campeões do mundo de BTT.

Veja aqui mais informações:

www.redbull.com
https://www.redbull.com/int-en/events/july-11th-lisbon-portugal
https://www.redbull.com/int-en/event-series/pump-track-world-championship

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.