O paracanoísta português Norberto Mourão conquistou hoje a medalha de prata na prova de VL2 200 metros da Taça do Mundo de Szeged, na Hungria, numa jornada matinal também produtiva para os canoístas Fernando Pimenta e Joana Vasconcelos.

No mesmo local onde, em 2019, garantiu a vaga para Portugal nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, ao sagrar-se vice-campeão mundial da distância, Mourão voltou a ficar com a prata, na competição que marca o regresso da canoagem de velocidade internacional, depois da paragem devido à pandemia de covid-19.

O português concluiu a final direta da prova com o tempo de 1.00,83 minutos, mais 1,26 segundos do que o vencedor, o russo Igor Korobeynikov, e batendo por quase três segundos o terceiro classificado, o húngaro Tamas Juhasz.

Fernando Pimenta, que no ano passado conquistou a medalha de bronze em K1 1000 metros no Mundial realizado em Szeged, assegurou hoje a qualificação direta para a final da prova, sem ter de passar pelas meias-finais, ao vencer a primeira série de apuramento, com o tempo de 3.52,50 minutos.

O canoísta português apurou-se ainda para as meias-finais de K1 500 metros, igualmente com um triunfo na sua série, com o tempo de 1.56,33 minutos, e vai discutir o acesso à luta pelas medalhas nas meias-finais, agendadas para a tarde de hoje.

Joana Vasconcelos também seguiu para as ‘meias’ de K1 200 metros, prova na qual conquistou a medalha de bronze nos Mundiais de sub-23 disputados em Szeged, em 2014, ao terminar no segundo posto da sua série, com o tempo de 45,93 segundos, apenas batida pela russa Natalia Podolskaia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.