O canoísta Norberto Mourão apresenta-se nos Mundiais de paracanoagem, de quarta-feira a domingo, em Halifax, Canadá, “sem o peso” da medalha de bronze conquistada em Tóquio2020 em VL2, sobretudo num ano de “recuperação”.

“[O pódio no Japão] Não pode pesar para mim, acredito é que pode pesar para os adversários. Olham para os três medalhados de forma diferente. Eu só tenho de estar focado no meu trabalho, fazer a minha prova. São nove pistas e eu só compito na minha”, justificou, em declarações à Lusa.

Norberto Mourão compete no Canadá ostentando o bronze dos Jogos Paralímpicos, o mesmo metal que duas semanas depois conquistou na Dinamarca nos mundiais de 2021, o seu segundo melhor resultado a seguir à prata em 2019, na Hungria (em 2020 não houve provas internacionais, devido à covid-19).

O atleta luso admite “expectativas boas” em Halifax, apesar de este ano ainda não ter competido internacionalmente, já que falhou a única Taça do Mundo, na Polónia, precisamente devido ao coronavírus.

“Não estou na mesma forma do ano passado, pois este é um ano de recuperação, mas sinto-me bem e estou motivado para o que aí vem”, assegura, sempre focando em superar-se e “levar alegrias para Portugal”.

Norberto Mourão está focado essencialmente em apresentar-se bem na próxima época, pois os Mundiais de 2023 vão definir as seis primeiras vagas para Paris2024 e o objetivo é conseguir uma delas, para que em 2024 se foque somente nos Jogos Paralímpicos e não em conseguir primeiro a qualificação, algo que “complica” a preparação para o grande evento.

Em outubro, Mourão vai completar 42 anos, contudo garante que ainda está “na média de idades” no desporto paralímpico, já que muitos atletas se dedicam a uma modalidade adaptada depois de acidentes de viação, como foi o seu caso.

“Ainda me sinto bem para continuar mais um ou dois ciclos [paralímpicos]”, garante o campeão da Europa em título.

Alex Santos foi quinto na especialidade de KL1 de Tóquio2020 e este ano quarto na Taça do Mundo, resultados que lhe permitem considerar que está “no grupo da frente na luta pelas medalhas”, que nunca conquistou.

“Quero desfrutar da competição e utilizar cada vez mais o conhecimento que vou adquirindo em cada prova. [Em Paris2024] Quero chegar à final e melhorar o quinto lugar, sem dúvida”, completou.

Alex Santos inicia o seu desempenho na quarta-feira, enquanto Norberto Mourão entra na água somente na quinta-feira.

Em Halifax, Portugal está representado na canoagem olímpica por sete atletas, nomeadamente Fernando Pimenta, João Ribeiro, Messias Baptista, Emanuel Silva, David Varela, Kevin Santos e Teresa Portela.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.