Os New England Patriots venceram sensacionalmente a 51.ª edição do Super Bowl, ao baterem no domingo os Atlanta Falcons por 34-28, após o primeiro prolongamento de sempre e depois de estarem a perder por 25 pontos, em Houston.

No NGR Stadium, os Patriots escreveram história, rumo ao seu quinto título, depois de 2002, 2004, 2005 e 2015, já que, na final da Liga norte-americana de futebol americano, nunca uma equipa ganhara após uma desvantagem superior a 10 pontos.

Os Falcons, que haviam perdido a única final disputada, em 1999, tiveram ‘mão e meia’ no troféu Vince Lombardi, com vantagens ‘gigantescas’ de 21-0 e 28-3, mas, com o jogo ‘perdido’, o veterano Tom Brady, de 39 anos, fez ‘magia’.

Rumo ao seu quinto título, o máximo de um ‘quarterback’, Brady começou a fazer funcionar o ataque dos Patriots, com passes acertados, uns atrás dos outros, para mais uma série de recordes, que lhe valeram o quarto ‘MVP’ (Jogador Mais Valioso’) do ‘Super Bowl’, contra três do ‘mito’ Joe Montana.

O ‘12’ de New England, escolhido apenas na sexta ronda e na 199.ª posição do ‘draft’ de 2000, fez recordes de 43 passes completos, 62 tentados e 466 jardas, dois passes para ‘touchdown’ e uma interceção.

Em ‘grande’, esteve também o ‘running back’ James White, com 14 receções, um recorde do Super Bowl, para 139 jardas, e três ‘touchdowns’, incluindo os dois últimos.

História, fez também Bill Belichick, que se tornou o primeiro treinador a conseguir cinco vitórias no Super Bowl, à sétima presença, outro recorde.

O encontro começou com grande equilíbrio e total supremacia das defesas, que tornaram o primeiro período numa troca de ‘punts’ e deixaram o marcador a zero.

O segundo quarto foi completamente diferente, com o jogo a ‘tombar’ para os Falcons com um erro de LeGarrette Blount, que, por ação de Deion Jones, perdeu a bola (‘fumble’), recuperada por Robert Alford.

Na sequência, o ‘quarterback’ Matt Ryan começou a carburar e o conjunto de Atlanta chegou ao ‘touchdown’, pelo ‘running back’ Devonta Freeman, numa corrida de cinco jardas. Matt Bryant conseguiu a transformação e fez o 7-0.

Os Patriots acusaram o ‘toque’, perderam rapidamente a bola no ataque seguinte e, em menos de quatro minutos, os Falcons chegaram ao 14-0, agora com um ‘touchdown’ do ‘tight end’ Austin Cooper, após um passe de 19 jardas de Ryan.

Brady não encontrava soluções, mas, à custas de faltas da defesa dos Falcons, chegou a posição de pontuar no ataque seguinte, só que, então, Robert Alford intercetou um passe e correu longas 82 jardas para novo ‘touchdown’ (21-0).

A formação de New England estava obrigada a fazer história, mas, até ao intervalo, não conseguiu mais do que um ‘field goal’, graças a um pontapé de Stephen Gotstkowski, que reduziu para 21-3 com dois segundos para jogar na primeira parte.

A bola começou dos Patriots na segunda metade, mas foram os Falcons a aumentar para 28-3, com um passe de seis jardas de Ryan para o ‘touchdown’ de Tevin Coleman.

Perante tamanha desvantagem, os Patriots começaram a arriscar tudo e, a 2.06 minutos do final do terceiro período, lograram, finalmente, chegar ao ‘touchdown’ (28-9), num passe de cinco jardas de Brady para James White.

Após 21 conversões consecutivas nos ‘play-off’, Gostkowski falhou, acertando no poste direito, mas, já no quarto período, a 9.44 do final, marcou mais três pontos (28-12).

A duas posses de bola (touchdown e conversão de dois pontos), os Patriots reentraram verdadeiramente na corrida ao Super Bowl no ataque seguinte dos Falcons, quando Dont’a Hightower fez Ryan perder a bola, que Alan Branch recuperou.

Num ápice, Brady fez novo passe para ‘touchdown’, desta vez para Danny Amendola. Com 5.56 minutos para jogar, James White converteu a ‘obrigatória’ jogada de dois pontos (28-20).

A bola estava de volta aos Falcons, mas, apesar de uma ‘enorme’ receção de Julio Jones pelo meio e de terem estado em posição de marcar, foram obrigados a novo ‘punt’.

Brady tinha agora 3.30 minutos para completar o ‘milagre’ e, com uma série sensacional de passes, incluindo um para uma receção inacreditável de Edelman, consegui-o. James White logrou o ‘touchdown’ e Amendola converteu os dois pontos.

Os Falcons ainda tinham posse de bola, mas ainda a tiveram de a ‘oferecer’ aos Patriots, que nada conseguiram fazer, mas tinham o prolongamento conquistado e ganharam a ‘moeda ao ar’.

O Super Bowl LI estava à distância de um ‘touchdown’ (bastava consegui-lo na primeira posse de bola) e Brady não perdoou, com James White a selar a sensacional recuperação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.