O resgate do título do campeonato do mundo pesca desportiva ao corrico de alto mar, perdido para Alemanha, constitui à aposta da selecção nacional na competição que decorre de 09 a 16 de Fevereiro, na cidade sul-africana de Sodwana Bay, após ter falhado a presença em 2018, na França.

As declarações foram prestadas sábado à Angop pelo seleccionador, Horácio Pina, acrescentando que os quatro títulos arrebatados (2008, 2014, 2015 e 2017), num total de seis participações, remetem o grupo a redobrar esforços para conservar o prestígio conquistado nesta prova, que por razões financeiras o impediram de participar em 2018.

Referiu ter convocado seis pescadores com participações em mundiais, o que ajudará o país contrapor o favoritismo caseiro dos Sul-africanos e repetir a proeza de 2008, ao mesmo tempo que almeja-se recuperar o troféu perdido em 2018.

Dividida em duas, a selecção nacional conta com os atletas Marco Couto dos Tubarões Team CNIL), Carlos Louro do Team Release do CNIL, Marco Queirós do Team Calulo que representam a equipa A.

Na equipa B, constam Luís Van-Dúnem Mateus dos Dragões do CNIL, João Lopes do Team Náutico e Airton Moreira do Monster do Náutico do Lobito.

A viagem para o palco da competição está inicialmente prevista para o dia sete do mesmo mês, onde no dia nove realiza treino de adaptação àquele mar.

Angola é detentor dos títulos disputados África do Sul (2008), Brasil (2014) e Angola (2015) e Portugal (2017).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.