O Presidente da República condecorou hoje os atletas olímpicos Pedro Pichardo e Jorge Fonseca e os paralímpicos Miguel Monteiro e Norberto Mourão no Palácio de Belém, onde o presidente do Comité Olímpico, José Manuel Constantino, também foi agraciado.

A cerimónia, que, segundo o presidente Marcelo Rebelo de Sousa, deveria ter acontecido em 2021, na sequência das conquistas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio2020, foi adiada “por várias circunstâncias”, como a “dificuldade em encontrar todos os homenageados, o agravamento da pandemia e uma pequena intervenção” a que foi submetido, mas agora realizada para “uma homenagem nacional àqueles que uma vez mais prestigiaram Portugal.”

“Começo pelo Sr. Presidente [Comité Olímpico de Portugal], que tem tido uma responsabilidade ao longo de muitos anos no tocante às representações olímpicas de Portugal e que, em momentos uns mais fáceis e outros mais difíceis, com os recursos disponíveis, mas com uma preocupação de planeamento e de programação a prazo, soube encabeçar um período fasto e muito positivo para a nossa presença no mundo. Isso merece ser recompensado e daí ter decidido atribuir-lhe a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública, porque se trata de uma verdadeira missão formativa, pedagógica de âmbito nacional e de repercussão internacional”, explicou Marcelo Rebelo de Sousa.

Após José Manuel Constantino, foi a vez de Pedro Pablo Pichardo, medalha de ouro no triplo-salto em Tóquio, o judoca Jorge Fonseca, que conquistou o bronze na categoria -100kg, Miguel Monteiro, terceiro lugar no lançamento do peso F40, e Norberto Mourão, que venceu a medalha de bronze nos 200 metros VL2 da canoagem, serem distinguidos.

“Temos o Pedro, o Jorge, o Miguel, o Norberto, temos quatro campeões! Nalguns casos repetentes, noutros menos repetentes ou repetentes de forma diversa, que têm vindo a afirmar-se e a melhorar ao longo do tempo. Isso é muito prestigiante para Portugal”, sublinhou o Presidente da República.

Além de referir o “momento marcado pela pandemia”, “um momento em que todos queremos que seja rápida a recuperação económica e social”, o chefe de Estado defendeu ser necessário “olhar para novos horizontes no mundo olímpico e paralímpico e trabalhar neles, porque o atraso que houve num ano significa que não temos os quatro anos da praxe e tem de correr tão bem ou melhor que nas últimas vezes.”

 “Sabendo nós que os recursos são limitados, das dificuldades da programação da vida de todos os que pertencem a esse mundo, queria agradecer-vos em nome das portuguesas e dos portugueses pelos momentos de felicidade que nos deram no ano de 2021. Bem-haja!” agradeceu Rebelo de Sousa, Grão-Mestre das Ordens Honoríficas portuguesas, antes de entregar a Grande Cruz da Ordem do Mérito a Pedro Pablo Pichardo, a insígnia de Comendador da Ordem do Infante Dom Henrique a Jorge Fonseca, e os graus de Comendador da Ordem do Mérito a Miguel Monteiro e a Norberto Mourão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.