O português Ricardo Brancal foi 40.º classificado na final de slalom gigante Mundiais de esqui alpino, hoje disputada em Cortina D`Ampezzo, Itália.

O covilhanense, de 24 anos, escolhido pela Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDIP) para estar na final, em representação de Portugal, foi 58.º na primeira descida e melhorou na segunda manga, o que lhe permitiu terminar a prova em 40.º, numa competição em que 54 atletas não cortaram a meta.

Ricardo Brancal fez um tempo de 3.15,32 minutos nas duas mangas, mais 38,07 segundos do que o vencedor, o francês Mathieu Faivre.

O esquiador disse que o primeiro objetivo era qualificar-se para a segunda descida e subir posições na mesma, o que acabou por acontecer, e realçou estar satisfeito com a sua prestação, numa pista com muito gelo.

"Fiquei satisfeito. Era uma pista muito complicada, mais complicada até do que é normal numa taça do mundo, onde caíram imensos atletas, muitos de topo, que costumam ganhar a prova, como aconteceu com o Alexis Pinturault, primeiro classificado na primeira manga", sublinhou o atleta, em declarações à agência Lusa.

Ricardo Bancal diz que o gelo na pista e a diferente dureza do traçado nas zonas de sobra e de sol foram o seu principal obstáculo.

"O gelo foi a principal dificuldade, conseguir ter estabilidade nas curvas, conseguir entrar com as arestas, foram a maior dificuldade, mas, como me senti bem fisicamente, consegui compensar com o físico", analisou o esquiador.

O atleta, que prometeu no sábado "fazer o melhor possível" no slalom, onde também participa Baptiste Aranjo, afirmou estar "muito orgulhoso".

"Acho que foi o melhor resultado em campeonatos do mundo masculinos. Estou muito orgulhoso e agradeço muito à federação a oportunidade que me deu de competir nesta prova. Estou muito satisfeito", frisou.

Nas provas de qualificação de slalom gigante, na quinta-feira, Ricardo Brancal terminou no 60.º lugar entre 113 atletas, enquanto Baptiste Aranjo falhou uma porta já perto do final da primeira manga e não terminou.

Para a final qualificam-se os primeiros 25 e há mais 15 vagas para países não representados entre esses 25. A FDIP escolheu Ricardo Brancal para vestir as cores de Portugal na prova de hoje e deverá ser Baptiste Aranjo a estar na final de slalom, no domingo.

Sérgio Figueiredo, o diretor técnico nacional, considerou, em declarações à Lusa, que Ricardo Brancal "fez um excelente resultado, numa pista com condições muito duras".

Vanina Guerillot, lesionada, não competiu em slalom gigante, mas os responsáveis acreditam que estará apta para a final de slalom, no sábado.

"Ela fez ontem sessão de fisioterapia, hoje já treinou e correu bem. À partida está pronta, vamos ver amanhã [sábado], durante o aquecimento, se não acontece nenhuma surpresa", informou o diretor técnico nacional.

Portugal participa com três atletas nos Mundiais de esqui alpino, que decorrem até dia 21. Vanina Guerillot e Ricardo Brancal repetem a participação de Are2019, na Suécia, enquanto Baptiste Aranjo se estreou na competição.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.