O grande prémio de Montreal em Formula E, competição na qual compete o português Félix da Costa, foi um “fiasco financeiro” e as próximas edições foram anuladas face às intransigências da Federação Internacional Automóvel (FIA), anunciou hoje a autarca.

Valérie Plante, eleita para o cargo, revelou que o promotor da corrida, a empresa sem fins lucrativos Montréal C’est Électrique, usou quase todo o crédito do município, de 6,5 milhões de euros, e ainda tem mais cerca de quatro milhões em pagamentos pendentes.

O antigo autarca Denis Coderre recusou-se a falar sobre o fracasso até às eleições municipais, que decorreram em novembro.

Face a esta situação de colapso financeiro e para poder desenvolver uma estratégia de negócio equilibrada, a autarca pediu à FIA para suspender a prova prevista para Montreal a 28 e 29 de julho de 2018, uma das 11 provas do calendário internacional da Fórmula E.

"A interrupção de um ano no calendário era uma alternativa interessante" para encontrar patrocinadores e um circuito compatível com os imperativos da cidade, mas "os líderes da Fórmula E rejeitaram a opção", lamentou Valérie Plante, criticando o “projeto financeiro pouco realista, desconectado ou mesmo duvidoso" desenvolvido pelos promotores.

Pouco antes de ser derrotado, o antigo autarca reconheceu a necessidade de “fazer melhor”: para tornar a prova um sucesso popular, a autarquia doou 20.000 bilhetes e outros 25.000 ficaram para os patrocinadores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.