A vitória do francês Stéphane Peterhansel (Mini) nos automóveis, com o sotaque português do navegador Paulo Fiúza, foi um dos factos relevantes da quarta etapa do Rali Dakar de todo-o-terreno, que hoje ligou Neom a Al-Ula.

Foi o primeiro triunfo do recordista de vitórias na prova (13) nesta 42.ª edição, disputada na Arábia Saudita, depois de percorrer os 453 quilómetros da especial em 04:04.34 horas, deixando o segundo classificado, o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota), a 02.26 minutos.

O espanhol Carlos Sainz (Mini), líder à partida desta etapa, terminou hoje na terceira posição, a 07.18 minutos do piloto do Mini.

Menos sorte tiveram os irmãos Ricardo e Manuel Porém (Borgward), que concluíram a tirada na 57.ª posição, a 3:17.56 horas do vencedor, depois de terem sofrido um capotamento, que deixou o carro maltratado.

Com estes resultados, Sainz manteve o comando, apesar do tempo perdido para Peterhansel na classificação geral. Nesta altura tem 03.03 minutos de vantagem para Al-Attiyah, que é segundo apesar de uma penalização de três minutos, e 11.42 minutos para Stéphane Peterhansel.

Porém caiu para 38.º, a 04:43.24 horas do líder da prova.

Nas motas, a vitória foi atribuída ao chileno José Ignacio Cornejo (Honda), que demorou 4:24.51 horas a cumprir os 453 quilómetros da especial cronometrada de hoje, menos 35 segundos do que o segundo classificado, o argentino Kevin Benavides (Honda).

Inicialmente o triunfo foi atribuído ao britânico Sam Sunderland (KTM), que acabou penalizado em cinco minutos por excesso de velocidade.

O vencedor da terceira etapa, o piloto do Botsuana Ross Branch (KTM) fechou os lugares do pódio a 55 segundos de Cornejo, enquanto Paulo Gonçalves consegue o melhor resultado até agora nesta 42.ª edição da prova, sendo promovido ao quarto lugar da etapa, a 2.11 minutos do vencedor.

Já outro português, António Maio (Yamaha), sofreu uma queda no início da especial que danificou a sua mota e terminou em 89.º, a 2:06.35 horas do vencedor.

Com estes resultados, o norte-americano Ricky Brabec (Honda) manteve a liderança, apesar de ter terminado em sétimo, tendo 2.30 minutos de vantagem sobre o companheiro de equipa Kevin Benavides e 8.31 minutos sobre José Ignacio Cornejo.

Paulo Gonçalves, que na véspera perdera seis horas devido a uma avaria e 48 minutos de penalização, está em 77.º, a 7:32.30 horas do líder.

Nos SSV, o zimbabueano Conrad Rautenbach e o português Pedro Bianchi Prata (SSV) não foram além do 15.º lugar, caindo para o sétimo lugar, a 1:09.06 horas do líder, o espanhol José Lopez (Hibor Raid).

Esta quinta-feira disputa-se a quinta etapa da 42.ª edição da prova, com uma ligação entre Al-Ula e Ha'il, com 564 quilómetros de extensão, 353 deles ao cronómetro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.