Andrea Dovizioso (Ducati) assumiu-se hoje orgulhoso pelo triunfo no Grande Prémio da Malásia de MotoGP, que adiou a decisão do título para a última prova do Mundial de motociclismo de velocidade, após ultrapassagem ao companheiro de equipa Jorge Lorenzo.

“Estou muito feliz e orgulhoso por manter viva a luta pelo campeonato. Estive com um bom ritmo, foi muito difícil, mas a mota funcionou bem”, afirmou Andrea Dovizioso, que ficou agora a 21 pontos do líder do Mundial, o espanhol Marc Márquez (Honda), quarto na Malásia.

O italiano venceu em Sepang, onde assumiu a liderança da corrida a quatro voltas do final, quando ultrapassou o espanhol Jorge Lorenzo, após a equipa ter indicado ao então líder a utilização de um mapa diferente (mapa oito), algo que o tricampeão do mundo negou.

“Eu tentei, mas o Dovizioso ganhou. Eu queria ganhar a corrida. Cometi um erro na viragem 15 e pensei que ia ter um acidente, mas não queria tocar no Dovizioso”, afirmou Lorenzo.

Após a 17.ª das 18 provas do Mundial, o campeão do mundo em 2010, 2012 e 2015 assegurou não ter percebido as indicações da Ducati.

“Eu não vi o painel luminoso, com a chuva e com a concentração na corrida. Avisaram-me disso quando cheguei ao parque fechado. Nem sabia o significado e não vi a mensagem. Sabem que sou sincero e que isso se vê na minha cara”, frisou Lorenzo, reconhecendo a importância da classificação de pilotos para a Ducati e admitindo ajudar Dovizioso.

O título mundial da principal classe do motociclismo de velocidade vai ser decidido na derradeira prova do campeonato, a disputar em Valência, em 12 de novembro, necessitando Dovizioso de vencer a corrida e que Márquez fique abaixo do 12.º lugar – em caso de igualdade, o italiano terá vantagem, por ter mais um triunfo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.