A justiça alemã anunciou hoje o fim do processo por corrupção instaurado contra o “patrão” da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, uma vez que este pagou os 75 milhões de euros que constavam de um acordo entre as partes.

A 05 de agosto, o juiz de um tribunal de Munique, Peter Noll, decidiu aceitar o acordo proposto pela defesa e suspender as diligências judiciais contra o britânico, que era julgado desde 24 de abril por ter pagado, em 2006 e 2007, 44 milhões de dólares (cerca de 31,8 milhões de euros) de subornos ao banqueiro Gerhard Gribkowsky.

O pagamento a Gribkowsky, que trabalhava para o banco público da Baviera Bayern LB, visaria concluir a venda de direitos da F1 ao fundo de investimento CVC Capital Partners.

O tribunal alemão estipulou que Ecclestone tinha uma semana para transferir os 100 milhões de dólares acordados (cerca de 75 milhões de euros), dos quais 99 milhões diretamente para os cofres do Estado da Baviera e um milhão para uma fundação de ajuda a crianças.

Hoje, o tribunal emitiu um comunicado no qual deu conta que Ecclestone fez a transferência "dentro do prazo", dando assim por concluído o processo, e precisou que "esta decisão não é suscetível de recurso".

Caso o julgamento prosseguisse e Ecclestone, de 83 anos, fosse considerado culpado dos crimes de "corrupção e incitação ao abuso de confiança" enfrentaria uma pena de até 10 anos de prisão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.