A Hero Motorsports anunciou esta segunda-feira que vai abandonar o Dakar e que não vai participar no que resta da prova. Um porta-voz da equipa referiu ao site 'Motorsport.com' que a equipa considera não haver condições para continuar, após a trágica morte de Paulo Gonçalves.

"É triste, mas sentimos que precisamos de espaço para fazer o luto pelo nosso amigo e companheiro de equipa", afirmou o porta-voz da Hero.

O piloto Paulo Gonçalves faleceu este domingo, aos 40 anos, na sequência de uma queda na sétima etapa da 42.ª edição do Dakar, naquela que era a sua 13.ª participação.

Lesões "graves na cabeça, pescoço e coluna" terão sido a causa da morte do ‘motard’, adiantou hoje fonte da equipa à agência Lusa.

A mesma fonte da equipa Hero explicou que, neste momento, estão a ser "tratados todos os trâmites burocráticos necessários" para a libertação do corpo, algo que "deverá acontecer ainda hoje".

Espera-se que a trasladação dos restos mortais do piloto aconteça, "na melhor das hipóteses”, na terça-feira.

Segundo explicou a organização e foi possível ver nas imagens difundidas pelas televisões, o local onde Paulo Gonçalves morreu era uma reta em que os pilotos seguiam "a alta velocidade", e em que, segundo o piloto australiano Toby Price (KTM), havia "uma lomba".

O piloto português foi encontrado "inconsciente e em paragem cardiorrespiratória". O óbito foi declarado já no hospital de Layla.

*artigo atualizado às 13h54

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.