Pequenos erros de navegação custaram, esta quarta-feira, ao piloto Paulo Gonçalves (Hero) a perda de três posições na classificação do rali Rota da Seda, que liga a Rússia à China e é pontuável para o Mundial de todo-o-terreno.

Na primeira metade de uma especial maratona, em que os pilotos não podem receber assistência dos seus mecânicos, a preocupação do piloto de Esposende foi chegar ao acampamento nas melhores condições possíveis após 470 quilómetros cronometrados.

"Tive alguns percalços na especial, com pequenos erros de navegação e acabei por perder algum tempo. O importante foi ter chegado sem nenhum problema. Estou a encontrar o ritmo nas pistas da Mongólia", começou por dizer o piloto português à agência Lusa, após a quarta etapa da competição, que termina no dia 16.

Paulo Gonçalves terminou a tirada em redor da capital da Mongólia na nona posição, a 11.49 minutos do vencedor, o britânico Sam Sunderland (KTM).

Com este resultado, o piloto da Hero caiu para o oitavo lugar, a 18.23 minutos do líder, Sam Sunderland.

Esta quinta-feira, os pilotos enfrentam 337 quilómetros de especial, entre Ulan Bator e Mandalgovi, desenhados em pistas rápidas e de piso duro, com algumas pedras.

"É outro dia longo, com a segunda parte da etapa maratona, com 330 quilómetros. Espero melhorar dia após dia. Ainda faltam cinco dias de corrida e o importante é estar concentrado para conseguir um bom resultado final", concluiu Paulo Gonçalves.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.