O presidente do Automóvel Clube de Portugal (ACP) classificou hoje de «ridículas» as explicações da Câmara do Porto quanto à nega dada ao Rali de Portugal e acusou o autarca Rui Rio de ter prejudicado a região.

«As explicações da Câmara do Porto são completamente ridículas. (…) É ridículo um presidente da câmara não ter capacidade para decidir um evento de 300 mil euros que não é em dinheiro, são 300 mil euros em géneros, para um evento que dará 40 milhões à cidade, é ridículo», afirmou Carlos Barbosa à Lusa.

O presidente do ACP reagia assim às explicações da Câmara do Porto, que hoje revelou não se ter comprometido com a realização do Rali de Portugal porque Luís Filipe Menezes (candidato do PSD à câmara) recusou revelar os patrocinadores do evento que dizia ter conseguido.

Em resposta enviada à Lusa, a autarquia sugere mesmo que o organizador do Rali de Portugal «parece estar interessado em participar ativamente na pré-campanha eleitoral para as próximas eleições autárquicas».

Carlos Barbosa disse não aceitar «de maneira nenhuma» tal afirmação, dizendo de Rui Rio: «é a mesma coisa que eu dizer que ele é o porta-voz da coligação Moreira-Pizarro».

«O Dr. Rui Rio está a fazer a campanha como porta-voz contra o Dr. Luís Filipe Menezes, não tenho nada a ver com isso, não faço campanha por ninguém», acrescentou o presidente do ACP.

O presidente lamentou ainda que o presidente da Câmara do Porto «tenha voltado atrás tão tardiamente», impedindo a organização do Rali de Portugal de encontrar alternativas em outra cidade do Norte do país.

«Ele não se pode esquecer que nós começamos a conversar em julho de 2012 e é completamente ridícula a história dos patrocinadores [porque] quem tem de assumir isso é a câmara, não são os patrocinadores», salientou.

Por esse motivo, Carlos Barbosa acusou o autarca do Porto de ter prejudicado «imenso a região do Norte e sobretudo a cidade do Porto, porque não quis que já em 2014 [houvesse] um evento que dava 40 milhões de retorno.»

Carlos Barbosa aproveitou para anunciar que irá apresentar uma queixa-crime, em nome pessoal, contra o candidato independente Rui Moreira, pelas declarações que este fez no passado domingo.

«Deu a indicação de que eu estaria bêbado quando fiz as minhas declarações. Ora, como eu estou farto de meninos da mamã, não tenho paciência nenhuma, e portanto ele agora vai ser um homenzinho e vai responder em tribunal pelas duas coisas», frisou, referindo-se a uma segunda queixa crime apresentada pelo ACP.

A direção do Automóvel Clube de Portugal anunciou hoje a decisão de «acionar judicialmente» o candidato independente à Câmara do Porto que, também em declarações no domingo, pôs «em dúvida a gestão» daquela entidade, explicou o presidente.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.