O britânico Lewis Hamilton (Mercedes), que hoje venceu o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, no Algarve, admitiu que se divertiu "muito" numa "corrida fantástica", em que bateu o holandês Max Verstappen (Red Bull) e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes).

"Foi uma corrida tão dura... fisicamente e mentalmente. Havia muito vento, era fácil cometer um erro", começou por explicar o campeão mundial.

Hamilton contou que se sentiu "um idiota" quando foi passado por Verstappen no retomar da corrida após a entrada do ‘safety car’, à sétima volta.

"Estava concentrado no Valtteri [Bottas] e, por uma fração de segundo, olhei para o lado para ver onde estava o Max [Verstappen] e foi nessa altura em que o Bottas arrancou. Depois ia no cone de ar do Bottas e dei-o ao Max. Senti-me um idiota", admitiu o piloto da Mercedes.

Com este triunfo, o 97.º da sua carreira, Hamilton alargou a vantagem na liderança do Mundial de Fórmula 1 para oito pontos. Por isso, o sentimento de alívio com que se apresentou na conferência de imprensa após a corrida.

"Do ponto de vista de um piloto, esta pista foi incrível. Foi uma corrida fantástica, muito divertida. Fisicamente também é exigente, mas há curvas largas em que podes estar perto dos outros carros", disse.

Hamilton alerta que "o campeonato está muito apertado", pois trava-se "uma grande luta entre Mercedes e Red Bull", pelo que é necessário "continuar a puxar até à última corrida".

"Estamos entusiasmados por estarmos na luta com a Red Bull. Acho que eles pioraram um pouco aqui, porque nós não melhorámos. Mas é para isto que vivemos", frisou.

Hamilton revelou ainda que sentiu alguma falta de concentração no início da prova.

"Precisava de estar mais perto [de Verstappen], mas não estava no DRS dele. Tive de arrumar os meus pensamentos, dar uns toques à forma como estava a pilotar. Ele fez um erro na curva cinco e aproximei-me, precisava de manter essa distância o resto da volta para passar e consegui", contou, sobre a manobra que lhe deu o segundo lugar, antes de chegar à liderança da corrida.

Sobre os pneus, muito criticados por vários pilotos pela falta de aderência ao longo de todo o fim de semana, Lewis Hamilton foi pouco expansivo.

"Os pneus? Não quero falar muito. Consegui um bom equilíbrio [no carro], melhor na corrida do que para a qualificação", começou por dizer, frisando que "os pneus são diferentes este ano", pelo que "a abordagem é diferente, mas não há uma grande diferença".

"Com os mais duros sabemos que duram toda a corrida e que podemos puxar todas as voltas", disse.

O campeão mundial frisou ainda que a "pressão este ano é imensa".

"Há grande respeito entre nós. É sempre bom quando temos uma corrida como a de hoje em que ultrapassamos e capitalizamos as pequenas diferenças. Mas o Max deu tudo com a Red Bull. Acho que vai ser assim todas as semanas. Corridas justas e isso é que faz as corridas incríveis", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.