O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) ficou hoje a cinco vitórias de igualar o recorde conseguido pelo alemão Michael Schumacher, que chegou aos 91 triunfos na Fórmula 1, depois de vencer o Grande Prémio da Hungria, terceira corrida da temporada.

O hexacampeão mundial partiu do primeiro lugar da grelha e dominou toda a prova, concluindo as 70 voltas com o tempo de 1:36.12,473 horas, deixando o segundo classificado, o holandês Max Verstappen (Red Bull), a 8,702 segundos e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), terceiro, a 9,452 segundos.

A chuva que caiu de manhã baralhou as contas dos pilotos, que se apresentaram na grelha com pneus intermédios, à exceção do sueco Kevin Magnussen (Haas), e quase deixava Max Verstappen fora de prova ainda antes da partida.

Quando se dirigia para a grelha de partida, o piloto da Red Bull perdeu o controlo do carro e bateu nas barreiras de proteção, danificando a asa dianteira e a suspensão dianteira esquerda, obrigando os mecânicos a uma reparação de emergência em poucos minutos.

Valtteri Bottas, que largava da segunda posição da grelha, deixou o carro entrar em modo de segurança e perdeu várias posições, enquanto Hamilton se isolava na frente da corrida, a caminho da liderança do campeonato.

As primeiras voltas foram de grande agitação, com os pilotos a irem às boxes trocar os pneus intermédios por pneus lisos (‘slick'), à medida que a pista secava.

À sexta volta, com os pilotos da frente já com pneus novos, Lewis Hamilton já liderava outra vez com 7,8 segundos de vantagem para Verstappen.

O piloto holandês acabou fortemente pressionado por Botas, mas conseguiu aguentar o segundo lugar, enquanto via Hamilton vencer pela oitava vez em Hungaroring (igualou as vitórias conseguidas por Schumacher em França) e ascender à liderança do campeonato.

Esta foi a segunda vitória consecutiva do britânico, que somou ainda um ponto extra com a volta mais rápida da corrida (e novo recorde do circuito), na terceira corrida de uma época em que persegue o sétimo título mundial da carreira, outro recorde detido por Michael Schumacher.

"Acreditem ou não, mas ainda tive de me esforçar nas últimas voltas. Foi difícil manter a concentração, porque passei a corrida quase toda sozinho", disse o vencedor.

Com a vitória de hoje são já 153 as vezes em que o piloto britânico subiu a um pódio da Fórmula 1. Apenas Michael Schumacher fez melhor, com 155 pódios.

Hamilton tem, agora, 63 pontos contra os 58 de Bottas e os 33 de Verstappen.

A Ferrari voltou a desiludir, com Sebastian Vettel a ser o único a pontuar (sexto lugar, a uma volta de Hamilton), enquanto o monegasco Charles Leclerc terminou na 11.ª posição.

A próxima corrida é a 31 de julho, em Silverstone, no GP da Grã-Bretanha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.