O português Miguel Oliveira (KTM) admitiu hoje ter ficado "contente" pelo regresso do Grande Prémio da Estíria de MotoGP, onde conseguiu a primeira vitória nesta categoria em 2020, embora tenha "lamentado" a ausência da Finlândia.

O piloto luso falava aos jornalistas numa conferência de imprensa virtual após as primeiras duas sessões de treinos livres do GP de França, realizadas hoje em Le Mans, e onde alcançou o sexto melhor tempo.

"Foi um bom dia para nós. Conseguimos ser rápidos em seco e molhado. De manhã, a diferença foi maior, porque não estamos habituados ao pneu macio. Mas foi bom. Aguardo ansiosamente pela qualificação", frisou Oliveira.

Instado pela agência Lusa a comentar o cancelamento do GP da Finlândia devido à covid-19 e a substituição pelo GP da Estíria, na Áustria, Miguel Oliveira disse que "é uma pena" a caravana ainda não ir à Finlândia e ter "de voltar a fazer rondas duplas no mesmo circuito".

No entanto, admitiu que o traçado de Spielberg "não é um circuito mau" para a KTM.

"Ficámos contentes com a notícia. Esperamos que o campeonato se mantenha o mais estável possível e se possam manter as previsões de fim de campeonato, sobretudo. Resta-nos manter a esperança em alta e fazermos o nosso trabalho, qualquer que seja o circuito", concluiu Miguel Oliveira, que em 2020 conquistou a primeira de duas vitórias no campeonato do mundo de MotoGP precisamente no GP da Estíria, na Áustria, antes de vencer o GP de Portugal, na derradeira prova da época.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.