Miguel Oliveira foi segundo colocado no Grande Prémio da Áustria em Moto 2. O piloto português entrou na derradeira volta da prova na liderança mas, na última curva, alargou um pouco e permitiu a ultrapassagem do italiano Pecco Bagnaia, que assim recupera a liderança do campeonato, perdida na última prova para o piloto de Almada.

Depois do triunfo na semana passada no Grande Prémio da República Checa, Miguel Oliveira entrava assim da melhor forma e a mostrar que estava na Áustria para defender a primeira posição no Mundial de Moto2. À entrada para a 11.ª prova, o português somava 166 pontos, mais dois do que o transalpino.

Mas esta foi uma grande corrida de Miguel Oliveira em Spielberg. O piloto português largou do segundo posto mas antes da primeira curva já estava em primeiro.

No Red Bull Ring, 'casa' da sua equipa, a KTM, o 'Falcão' de Almada voou na frente, deixando a concorrência a quase um segundo.

‘Pecco’ Bagnaia chegou até a cair para o terceiro posto nas primeiras voltas, mas fez uma corrida em crescendo, recuperou a segunda posição e lançou um longo ataque a Oliveira. Sempre na liderança, o português conseguiu resistir às tentativas do italiano, mesmo com este a reduzir progressivamente a diferença de tempo.

As últimas cinco voltas foram fantásticas, com os dois pilotos a alternarem a liderança: ora um passava para a frente, ora era outro.

A última volta foi frenética, tal como na corrida anterior, com Oliveira e Bagnaia a alternarem na frente. Mas na derradeira curva, o piloto de Almada alargou um pouco e Bagnaia aproveitou para vencer na casa da KTM  e recuperar a liderança do Mundial com 189 pontos, mais três que Miguel Oliveira.

Luca Marini foi 3.º, Alex Marquez  (3.º no Mundial) caiu e já está a mais de 70 pontos da liderança.

No final, Miguel Oliveira não escondia a frustração por ter perdido a corrida na última curva.

“É chato perder assim. Foi uma grande batalha, deixei tudo na pista. Sabia que ele estava mais forte no terceiro setor”, confessou o piloto luso logo após a corrida, e que, apesar da frustração, disse estar “muito feliz” e otimista: “As coisas estão a correr bem e iremos conseguir voltar [a ganhar] nas próximas corridas”.

Já ‘Pecco’ Bagnaia não escondeu a satisfação pela forma como assegurou a vitória na Áustria e vincou a importância de ter ido “ao limite” para superar o opositor português da KTM.

“Quando me aproximei do Oliveira, fui ao limite colado ao seu pneu traseiro. Fomos muito rápidos neste fim de semana”, sublinhou o piloto da equipa Sky Racing VR46.

*Artigo atualizado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.