O Circuito Internacional de Montalegre, distrito de Vila Real, irá voltar a receber, entre 23 e 24 de outubro, o Mundial de ralicrosse, anunciou hoje a organização, que tem prevista a realização de oito provas em sete circuitos.

O calendário da prova mundial de ralicrosse foi revisto e divulgado hoje, com uma das novidades a ser o regresso da pista de Montalegre a esta competição, após em 2020 a etapa portuguesa ter sido adiada devido à pandemia de covid-19.

A prova portuguesa, no circuito que se situa no sopé da serra do Larouco, vai encerrar a edição de 2021 do Mundial sob a alçada da Federação Internacional do Automóvel (FIA), substituindo a etapa em Hell, na Noruega.

Será também o regresso da competição a Montalegre, após ter acolhido o Mundial entre 2014 e 2018.

Num total de oito rondas, passando por sete circuitos, o Mundial de ralicrosse arranca em Barcelona, entre 23 e 24 de julho, que irá inaugurar um “novo formato noturno”.

Segue-se Nürburgring, na Alemanha, entre 31 de julho e 01 de agosto, que receberá duas rondas, Höljes, na Suécia (21 e 22 de agosto), Lohéac, em França (03 e 05 de setembro), Riga, na Letónia (18 e 19 de setembro), Spa-Francorchamps, na Bélgica (09 e 10 de outubro) e Montalegre (23 e 24 de outubro).

Em comunicado, o promotor da competição, Rallycross Promoter GmbH, explicou que os desafios da pandemia exigiram “uma abordagem flexível e ágil”.

O diretor executivo da Rallycross Promoter GmbH, Arne Dirks, citado no comunicado, salientou que, apesar dos desafios, há a confiança de ter “o melhor calendário possível”.

“Tomámos a decisão deliberada de atrasar o início da época na esperança de sermos capazes de abrir as portas aos fãs – embora provavelmente em número limitado - em tantas rondas quanto possível, e reunimos o que acreditamos ser uma mistura irresistível de pistas icónicas de rallycross e locais modernos de última geração”, realçou, salientando o regresso de Montalegre, um circuito que “sempre foi o favorito dos fãs”.

Também o presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, citado no comunicado, manifestou “satisfação e honra” pelo regresso ao calendário.

“Este retorno ao calendário é o reconhecimento da qualidade do Circuito de Montalegre, do trabalho e esforço da Câmara e do respeito e prestígio da nossa organização conjunta com o CAVR [Clube Automóvel de Vila Real], que se encontra entre as mais altas autoridades do mundo do rallycross e do automobilismo. Estamos ansiosos para recebê-los em outubro”, apontou.

Além da principal categoria ‘World RX’, o calendário conta ainda com o novo campeonato RX2e, que será o primeiro campeonato de ralicrosse elétrico da FIA, e que estará nas etapas de Espanha, Alemanha, Suécia, França e Bélgica.

Já o campeonato europeu RX1, anteriormente denominado como Supercars, marcará presença na Suécia, França, Letónia e Bélgica e a prova Euro RX3, anteriormente conhecida como Super1600, estará em Espanha, Suécia, França Bélgica e Portugal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.